HGRE, BRCO: veja os fundos imobiliários recomendados para investir em janeiro

 

Ano de 2022 deve ser mais desafiador para investimentos de renda variável, segundo analistas
CNN Brasil Business compilou os 18 fundos mais recomendados por sete corretoras para o primeiro mês de 2022. Ano de 2022 deve ser mais desafiador para investimentos de renda variável, segundo analistas. Divulgação. João Pedro Malar do CNN Brasil Business, em São Paulo

Os investimentos em renda variável devem enfrentar um 2022 difícil, segundo analistas. A combinação de alta de juros no Brasil e nos Estados Unidos, riscos fiscais internos e um ano eleitoral geram incertezas para esse tipo de aplicação, que inclui os fundos imobiliários (FIIs).

Já impactados pelo forte período de queda durante a pandemia, os fundos tiveram uma recuperação no último mês de dezembro, com o Índice de Fundos de Investimentos Imobiliários (Ifix) da B3 avançando 8,8%.

Em relatório, a Genial Investimentos atribuiu essa recuperação a uma estabilização maior da curva de juros em patamares mais baixos após a PEC dos Precatórios.

“Além disso, vemos a baixa liquidez dos ativos e os altos descontos no mercado secundário como catalisadores do movimento de alta”, diz o texto.

Entretanto, a perspectiva para os primeiros meses de 2022 não traz “gatilhos de valorização no mercado imobiliário”. O motivo, segundo a Genial, é a alta incerteza política e a taxa básica de juros, a taxa Selic, em ciclo de elevação.

Rodrigo Crespi, economista da Guide Investimentos, afirma que “o mês de dezembro foi marcado pela forte recuperação dos fundos de tijolos e fundos de fundos, especialmente lajes corporativas e galpões logísticos”.

“Vemos a recuperação com bons olhos em decorrência das desvalorizações excessivas nos setores mencionados desde setembro, dito isso, ressaltamos que, após o rally de final de ano, os fundos voltaram a patamares mais próximos de seus valores patrimoniais”, diz Crespi.

Nesse sentido, o economista avalia que o Ifix pode ter uma continuidade na recuperação, mas “mantemos uma postura mais cautelosa frente a um cenário mais desafiador e incerto no espetro político-econômico e sanitário do país”.

Carteira do CNN Brasil Business

Para criar a carteira de fundos imobiliários de janeiro, o CNN Brasil Business ouviu sete corretoras: Genial, Ativa Investimentos, Guide, Investmind, BTG Pactual, Órama e Terra Investimentos. O fundo mais recomendado para janeiro foi o CSHG Real State (HGRE11). Veja as indicações:

Saiba o que os analistas dizem sobre os oito FIIs com maior destaque para este mês:

CSHG REAL STATE

Ticker: HGRE11

Comentário: Órama

O HGRE está passando por um período de renovação do portfólio, buscando o aumento da participação em determinados ativos e a alienação de imóveis fora de São Paulo, de participação minoritária e/ou monousuários.

Essa estratégia vem gerando ganhos de capitais adicionais, e reforça o foco na gestão de imóveis de maior qualidade.

Diante disso, normalmente observamos uma linearização de dividendos durante o semestre, com a entrega de resultados adicionais ao fechamento de cada semestre.

CSHG RENDA URBANA

Ticker: HGRU11

Comentário: Investmind

Gostamos desse fundo por ser bem diversificado, com 16 ativos em quatro estados (sendo mais de 85% em São Paulo) e vacância de 0%. Com todos seus contratos vencendo a partir de 2025 e mais de 90% sendo atípico, o fundo é bem dividido com sua receita, sendo 28,6% em educação, 24,1% em varejo vestuário e 47,6% em varejo alimentício.

Encontramos um pacote completo nesse fundo: ótimos ativos, bem diversificado, sem vacância e atualmente com preço abaixo do valor patrimonial. Projetamos Dividend Yield de 7,07% para os próximos 12 meses. A distribuição de dividendos foi de R$ 0,72 por cota em dezembro. O fundo foi constituído em 2018 pelo Credit Suisse e tem taxa de administração de 0,9% ao ano.

BRESCO LOGÍSTICA

Ticker: BRCO11

Comentário: BTG Pactual

O Bresco Logística FII é um fundo imobiliário focado em renda e gestão ativa, com o objetivo de investir em galpões logísticos que apresentem elevado padrão construtivo, além de localização próxima às principais regiões de consumo.

A nossa sugestão de compra para o BRCO11 é pautada nos seguintes pilares: grande exposição ao estado de São Paulo, principal mercado consumidor do país, maior exposição a contratos atípicos, imóveis de altíssimo padrão e maior previsibilidade de receitas.

TRX REAL STATE

Ticker: TRXF11

Comentário: Guide Investimentos

Assim como galpões logísticos, o varejo alimentício tem sido um dos setores que menos sofreu desde o início da crise.

Nesse sentido, acreditamos na sinergia defensiva que o portfólio do fundo apresenta entre os dois segmentos, mas também promovendo um potencial atrativo de ganho de capital devido às recentes conclusões de aquisições e retomada de dividendos a patamares acima da média do Ifix.

BTG PACTUAL LOGÍSTICA

Ticker: BTLG11

Comentário: Órama

O BTLG vem realizando boas aquisições por meio de suas últimas emissões: ativos logísticos de qualidade, com bom risco de crédito dos inquilinos, além de conseguir negociar taxas de retorno em média acima de 8% ao ano.

Importante destacar que os ativos originais vieram da antiga gestão (TRX), e a alienação abre espaço para novas aquisições, mais em linha com os imóveis que vem sendo incluídos na carteira. O pagamento será feito em parcelas até janeiro/22, podendo resultar em um ganho de capital total de R$ 4,88/cota.

CAPITÂNIA SECURITIES II

Ticker: CPTS11

Comentário: Investmind

Seu portfólio está bem dividido entre Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs) com indexador IPCA+ 6% (49%), e cotas de FII (42%), com a maior parte alocada em lajes corporativas e renda urbana. Projetamos um Dividend Yield de 12,76% para os próximos 12 meses.

Em outubro de 2021 houve mais um mês com giro de ativos em patamares altos. Embora a alta de juros tenha dificultado a negociabilidade no mercado secundário, a gestão realizou a compra de R$ 470 milhões em CRI, com uma taxa média IPCA + 6,13%, e venda de CRIs no valor de R$ 279 milhões, com taxa média de IPCA + 5,84%. A carteira atual se encontra com taxa média ponderada de IPCA + 6,5%.

VINCI SHOPPING CENTERS

Ticker: VISC11

Comentário: Guide Investimentos

O VISC retomou atividade em 100% dos seus shoppings e já começou a demonstrar sinais expressivos de melhora. O segmento de shoppings dentro de Fundos Imobiliários é o mais descontado em termos de VM/VP (Valor de Mercado/Valor Patrimonial) e acreditamos que tanto a melhor perspectiva sobre a evolução da pandemia quanto recentes notícias sobre possíveis vacinas, beneficiem um reajuste positivo para o setor.

VINCI LOGÍSTICA

Ticker: VILG11

Comentário: BTG Pactual

O Vinci Logística FII é um fundo que tem por objetivo obter renda e ganho de capital através da exploração de empreendimentos imobiliários focados em operações no segmento de logística. Atualmente, o fundo possui exposição nas regiões Sul, Sudeste e Nordeste.

A nossa sugestão de compra para o VILG11 é pautada nos seguintes pilares: portfólio diversificado em diversas regiões, com maior exposição ao distrito de Extrema (MG), carteira de locatários pulverizada e uma boa liquidez.

Fonte: CNN Brasil

Postar um comentário

0 Comentários