Governo federal recusa ajuda humanitária da Argentina às vítimas das chuvas na Bahia

 


Ministério das Relações Exteriores negou autorização do envio de ajuda humanitária por parte do governo da Argentina às vítimas das enchentes na Bahia, segundo informou, em nota, o governo do estado.

De acordo com o comunicado, o governo argentino se colocou disposto a enviar imediatamente ao sul da Bahia uma missão com profissionais especializados nas áreas de água, saneamento, logística e apoio psicossocial para as vítimas dos estragos que foram causados pelas fortes chuvas no estado.

governo baiano afirmou que recebeu um documeto do consulado argentino informando a decisão da União na noite desta quarta-feira (29). Na dispensa aos esforços do país vizinho, o governo brasileiro afirmou que a crise na Bahia está “sendo enfrentada com a mobilização interna de todos os recursos financeiros e de pessoal necessários”.

De acordo com o governo da Bahia, o Ministério das Relações Exteriores ainda informou que “na hipótese de agravamento da situação, requerendo-se necessidades suplementares de assistência, o Governo brasileiro poderá vir a aceitar a oferta argentina de apoio da Comissão dos Capacetes Brancos, cujos trabalhos são amplamente reconhecidos”.

Pelas redes sociais, o governador Rui Costa (PT) agradeceu a ajuda do governo argentino e pediu celeridade do governo federal para autorizar a missão estrangeira. O governador ainda expressou gratidão ao embaixador Daniel Scioli e à presidente da comissão nacional dos Capacetes Brancos, a embaixadora Sabina Frederic, assim como ao cônsul-geral da Argentina na Bahia, Pablo Virasoro.

O número de mortos em decorrência das enchentes que atingem diversas regiões da Bahia subiu para 24 de acordo com informações da Superintendência de Proteção e Defesa Civil do estado (Sudec). Diante da crise, 15 estados e o Distrito Federal anunciaram envio de ajuda para as cidades inundadas.

Conforme apurou o repórter da CNN, Mathias Brotero, o governo argentino não pretende se manifestar oficialmente sobre a recusa. De acordo com uma fonte anônima, se houver alguma mudança e um novo pedido de ajuda, a Argentina prontamente ajudará.

CNN procurou o Ministério das Relações Exteriores e a Embaixada da Argentina mas, até a última atualização desta reportagem, não obteve retorno.

Fonte: CNN Brasil

Postar um comentário

0 Comentários