Água parada é prato cheio para o mosquito da dengue

 

Cuidados devem ser redobrados no verão

A combinação entre altas temperaturas e chuvas ocasionais é ideal para a reprodução do mosquito Aedes Aegypti – transmissor das arboviroses dengue, zika e chikungunya. Para evitar e prevenir o aumento de casos, com as proximidades do verão, a Secretaria de Saúde de Feira de Santana intensificou os trabalhos. No entanto, a colaboração da população é fundamental.

  

O Centro Municipal de Referência em Endemias orienta os moradores que evitem o acúmulo de água em recipientes, mantenham os quintais limpos e que não deixem tanques de água descobertos. Simples atitudes como estas são importantes para evitar a reprodução do mosquito

Neste ano foram confirmados 138 casos de dengue – sendo um caso com sinais de alarme – 62 de chikungunya e 17 diagnósticos de zika. Apesar dos índices baixos, não é motivo para comemorar. É que, segundo o coordenador do Centro de Endemias, Edilson Matos, os números podem não refletir a realidade. 

“Existe uma subnotificação provocada pela pandemia da Covid-19, que é quando os números não refletem a realidade. Muitas pessoas estão evitando se dirigir às unidades de saúde e essa situação tem afetado nos registros e diagnósticos de casos”, explica.  

O coordenador de Endemias destaca ainda que as equipes têm encontrado focos dos mosquitos nas residências, situação que preocupa. “Pedimos que a população observe os quintais, mantenham os cuidados de higiene e evitem de qualquer forma água parada”, apelou. 



Postar um comentário

0 Comentários