Polícia Civil paralisa atividades em Feira e demais cidades da Bahia para prestar homenagens a colega morto durante tentativa de assalto

 


Policiais civis de Feira de Santana e em outras cidades da Bahia paralisaram as atividades na manhã desta sexta-feira (5), em todas as delegacias, para prestar homenagens ao colega Eliel Santana dos Santos, que morreu após ser alvejado durante uma tentativa de roubo, na cidade de São Gonçalo dos Campos, no dia 30 de outubro deste ano.

De acordo com o diretor do Sindicato dos Policiais Civis da Bahia (Sindpoc), Agrimaldo Souza, o objetivo é prestar um ato de soliedariedade pela morte do colega de profissão, mas também chamar a atenção para os problemas enfrentados pela categoria no estado.

Foto: Paulo José/ Acorda Cidade

“É como se ele tivesse tido um presságio. Ele deixou uma mensagem nos grupos para colegas do estado de Sergipe que haviam sofrido o mesmo mal que lhe aconteceu, e resta a nós enquanto colegas e seres humanos rendermos essa última homenagem a uma pessoa que tinha em seu perfil ser solidário. Ele nos deixou uma lição antes de partir e creio que foi bem recebido nos braços do Pai.”

Foto: Paulo José/ Acorda Cidade

Segundo o diretor da entidade, o ato, chamado pelos policiais de ‘lockdown’ deverá ocorrer até o meio-dia e busca também exigir do governo estadual a implementação da lei orgânica que regulamenta o pagamento de salários de nível superior para a Polícia Civil.

“Hoje das 8h às 12h estaremos em todo o estado, fazendo esse ato de lockdown, onde estaremos nas unidades cumprindo nosso horário, mas não faremos nenhum atendimento. Para que o governo implemente a lei que regulamenta o salário de nível superior, que já está na lei orgânica, mas o salário continua de nível médio. A nossa atividade é complexa, exige todo um conhecimento e estamos aí nessa luta. Fizemos uma nota técnica e protocolamos junto ao governo do estado e estamos aguardando um posicionamento. Também um impetramos um mandado pra que o governo saia desse estado de omissão e implemente a lei. O sindicato está na luta com o movimento Juntos Somos Mais Fortes, então hoje aqui e em todo o estado está ocorrendo o lockdown”, explicou.

Foto: Paulo José/ Acorda Cidade

A esposa do policial morto durante a ação dos bandidos, Josenilda Lopes, parabenizou a atitude dos policiais e ressaltou que em vida Eliel Santana dos Santos tinha a certeza que os colegas não a iriam deixar desamparada.

“Estou muito orgulhosa dele receber essa contribuição dos colegas, que era uma coisa que ele sempre me dizia da lealdade dos colegas. Ele sempre me prevenia que quem trabalha nessa profissão tem que estar sempre alerta, prevenido, porque sai, mas não sabe se volta. Ele era maravilhoso, um marido exemplar, como pai, esposo, então não tenho palavras”, afirmou.

 

Fonte: Acorda Cidade

Postar um comentário

0 Comentários