ONU apresenta plano de US$ 6 bilhões contra fome em resposta a Musk

 

Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas traçou plano para implantar US$ 6,6 bilhões em refeições e vouchers para alimentar mais de 40 milhões de pessoas em 43 países. Em entrevista à CNN, o diretor do Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas David Beasley disse que se Musk doasse 2% do patrimônio líquido, poderia ajudar a resolver a fome no mundo. Domenico Stinellis/AP. Jackie Wattles do CNN Business*


O diretor do Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas traçou um plano para gastar US$ 6,6 bilhões no combate à fome no mundo — uma resposta direta às idas e vindas com o CEO da TeslaElon Musk, que afirmou que venderia ações da Tesla para financiar um plano se o PMA pudesse descrever “exatamente como” ele funcionaria.

David Beasley, diretor do programa alimentar da ONU e ex-governador republicano da Carolina do Sul, tweetou um link na segunda-feira para um “sumário executivo” de mil palavras. Ele mapeia como a ONU implantaria US$ 6,6 bilhões em refeições e vouchers para alimentar mais de 40 milhões de pessoas em 43 países que estão “à beira da fome” — evitando assim o que o PMA está chamando de uma iminente “catástrofe”.

PUBLICIDADE

No documento postado por Beasley, o PMA propõe dedicar US$ 3,5 bilhões para comprar e entregar alimentos diretamente, US$ 2 bilhões “em dinheiro e vales-alimentação (incluindo taxas de transação) em locais onde os mercados podem funcionar” e gastar outros US$ 700 milhões para gerenciar novos programas alimentares que estão “adaptados às condições do país” e garantem “que a assistência chegue aos mais vulneráveis”.

Outros $ 400 milhões seriam usados ​​para “gerenciamento de operações, administração e responsabilidade” e coordenação da cadeia de suprimentos.

“O mundo está em chamas”, escreveu Beasley . “Venho alertando sobre a tempestade perfeita se formando devido à Covid-19conflitoschoques climáticos e agora, aumento dos custos da cadeia de suprimentos. ESTÁ AQUI.”

“Esta crise de fome é urgente, sem precedentes E evitável”, escreveu Beasley em um tweet separado, marcando Musk, que é a pessoa mais rica do mundo com um patrimônio líquido de aproximadamente US$ 288 bilhões. “Você pediu um plano claro e livros abertos. Aqui está! Estamos prontos para falar com você — e qualquer outra pessoa — que esteja falando sério sobre salvar vidas.”

Até tarde de quarta-feira, Musk não havia respondido.

As idas e vindas entre Musk e Beasley começaram com uma entrevista à CNN no mês passado, na qual Beasley pediu aos bilionários para “intensificarem agora, em uma base única” para ajudar a combater a fome no mundo, citando especificamente os dois homens mais ricos do mundo: Elon Musk e Jeff Bezos.

Beasley disse que doar US$ 6 bilhões, ou 2% do patrimônio líquido de Musk, poderia ajudar a resolver a fome no mundo.

Musk respondeu no Twitter , escrevendo: “Se o PMA puder descrever neste tópico do Twitter exatamente como US$ 6 bilhões resolverão a fome mundial, venderei ações da Tesla agora e farei isso”.

“Mas deve ser uma contabilidade de código aberto, para que o público veja precisamente como o dinheiro é gasto”, acrescentou Musk.

Beasley respondeu anteriormente aos tweets de Musk, garantindo-lhe que existem sistemas para transparência e contabilidade de código aberto.

“Para ele, ao menos entrar nesta conversa é uma virada de jogo porque, simplesmente, podemos responder às suas perguntas, podemos apresentar um plano que seja claro”, disse Beasley à CNN em outra entrevista no início deste mês . “Qualquer coisa e tudo que ele perguntar, ficaremos felizes em responder. Estou ansioso para ter essa discussão com ele porque vidas estão em jogo.”

Antes da pandemia da Covid-19, a crise de fome no mundo já era exacerbada pelas mudanças climáticas e conflitos. A pandemia agravou os problemas existentes, deixando “42 milhões de pessoas que estão literalmente batendo à porta da fome”, disse Beasley. “Este é o pior cenário possível.”

Não está claro se Musk ou Bezos perceberam o plano e acabarão por decidir em darem seus apoios. Porta-vozes das empresas de Musk não responderam aos pedidos de comentários. Uma representante de Bezos, Angela Landers, se recusou a comentar a proposta do PMA, mas apontou para outras doações filantrópicas que Bezos fez para combater a fome.

Musk já havia feito promessas ousadas no Twitter, alocando recursos para iniciativas de caridade. Em 2018, por exemplo, ele prometeu “financiar o conserto da água em qualquer casa em Flint (no Michigan)  que tenha contaminação de água acima dos níveis do FDA”. Musk acabou doando cerca de meio milhão de dólares para instalar filtros de água nas escolas da cidade, de acordo com um artigo de agosto de uma agência de notícias local .

Musk fez doações mais consideráveis ​​para certos projetos. Este ano, ele prometeu doar US$ 30 milhões para Brownsville, Texas, a cidade mais próxima de um grande centro de foguetes administrado por sua empresa SpaceX e escolas locais.

Ele também criou a Musk Foundation, que afirma contribuir para esforços relacionados à expansão de energia renovável, exploração espacial humana e uso seguro de inteligência artificial. Ele também assinou o The Giving Pledge, uma promessa de doar pelo menos metade de sua fortuna para iniciativas de caridade durante sua vida, algo que Bezos não fez.

Com colaboração de: Adam Pourahmadi Eoin McSweeney, Moira Ritter e Walé Azeez

* (Texto traduzido. Clique aqui para ler o original).

Fonte: CNN Brasil

Postar um comentário

0 Comentários