Menina de 8 anos que não foi devolvida à mãe depois das férias de julho com o pai é encontrada pela PRF em MS

 


A menina de 8 anos Isadora Praeiro Pedroso Ardevino, que não havia sido devolvida à mãe depois das férias de julho com o pai, foi encontrada pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) em estrada de Mato Grosso do Sul, após mais de 100 dias desaparecida.

O avô paterno de Isadora, Air Praeiro, foi abordado por um oficial de Justiça na estrada, neste domingo (7), quando viajava para Cuiabá junto com a criança. Ele recebeu uma intimação judicial em mãos e seguiu viagem com Isadora.

Praeiro estava com a guarda de Isadora desde 19 de outubro. No entanto, a mãe da garota entrou com uma ação, e a Justiça concedeu a guarda unilateral a ela na sexta-feira (5). A decisão foi proferida pela desembargadora do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) Nilza Maria Pôssas de Carvalho.

LEIA TAMBÉM:

Segundo a decisão, a menina deve ser devolvida à mãe em até 48 horas úteis. Por isso, o oficial de Justiça intimou o avô nesse domingo, na estrada.

Marina está há mais de 100 dias sem ver a filha. De acordo com a desembargadora, o pai se mostra alheio e ignora todas as decisões, ao relutar em entregar a criança mesmo havendo a determinação de busca e apreensão.

"Além de constar a infante no Cadastro de Desaparecidos, se verifica que o genitor é um perigo para o desenvolvimento da criança diante das atitudes tomadas até agora, e não se sabe quais outras pode tomar para atingir seus interesses egoísticos", diz em um trecho.

Segundo informações, Air e Isadora foram escoltados pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) até a divisa de Mato Grosso do Sul, com Mato Grosso. A partir daí, a PRF passou a responsabilidade para Mato Grosso.

"Como ele tem 48 horas para entregar, estamos deduzindo que ele irá usar esse tempo para tentar algum outro recurso, um outro meio para não devolver a menina", diz a defesa de Marina.

Uma audiência acontecerá nesta segunda-feira (8) às 13h no Juizado do Infância. Air tem até esta terça-feira (9) para entregar Isadora à mãe, já que o processo segue as regras do Código de Processo Civil, que conta as 48 horas em dias úteis.

A desembargadora determinou multa de R$ 50 mil em caso de desobediência.

Polícia Civil de Bauru (SP) ajuda nas buscas pela criança após determinação da Justiça — Foto:  Reprodução/Google Maps
Polícia Civil de Bauru (SP) ajuda nas buscas pela criança após determinação da Justiça — Foto: Reprodução/Google Maps

Guarda provisória do avô

O advogado João Vitor Almeida Praeiro Alves que é pai da menina e a enfermeira Marina Pedroso Ardevino dividiam a guarda da menina desde 2017, sendo que a casa da mãe era a referência de lar.

A Justiça suspendeu a guarda compartilhada aos pais da menina Isadora Praeiro Pedroso Ardevino e determinou guarda provisória ao avô paterno no último dia 19.

De acordo com a decisão, o avô paterno da menina possuía condição afetiva, psicológica e material para cuidar da neta e que por isso, a guarda provisória foi dada a ele.

No despacho, o juiz enfatiza que já determinou à mãe que não mais divulgasse o caso nas redes sociais e que ela teria descumprido a decisão.

Paradeiro de Isadora

O paradeiro da menina estava, até então, ocultado pelo pai. Dois mandados de busca e apreensão já haviam sido expedidos pela Justiça de Mato Grosso.

A advogada da mãe, Ana Lúcia Ricarte, comentou que não é a primeira vez que o pai não devolve a menor. Segundo ela, a mãe entrou com a primeira busca e apreensão para contra o pai da criança para reaver a menor no ano passado.

Conta que na segunda vez que ele não devolveu a criança foi feito um acordo para mudar Isadora de escola.

O ex-marido chegou a mover um processo contra Marina e em dois episódios anteriores, a mãe da menina precisou se valer de pedidos judiciais para que a criança fosse devolvida.

A família de Isadora realizou um protesto no mês passado, em frente ao Fórum de Cuiabá pedindo agilidade da Justiça e do Ministério Público na busca pela menina.

Fonte: G1

Postar um comentário

0 Comentários