Familiares e amigos lamentam morte e se despedem da garota Yasmin Bastos

 


Os familiares e amigos de Yasmin Bastos Nunes, apenas 11 anos de idade, se reuniram na tarde deste domingo (7), no Centro de Velório Gilson Macedo, bairro da Kalilândia, para prestarem as últimas homenagens à guerreira que lutou até o último dia de vida contra a Leucemia.

Yasmin morreu na madrugada deste domingo, após complicações causadas pela doença.

Em entrevista ao Acorda Cidade, o pai de Yasmin, Nelson Nunes destacou que carregou a filha no colo até os últimos dias de vida, e hoje, foi o momento de devolver ao Pai Eterno.

"Hoje nós estamos devolvendo ela aos braços do Pai, porque eu posso dizer que carreguei ela até os últimos dias de vida aqui, como pai terreno. Hoje no hospital junto com minha esposa, fizemos uma oração de mãos dadas pedindo ao Pai Celestial que recebesse Yasmin com todo carinho que ela merece e que leve junto com ela, esse amor que toda a sociedade deu à ela. Nesse momento, eu fico com a dor do luto, mas com a esperança de que as dores e todo o sofrimento do tratamento que ela teve aqui, hoje foi cessado. Falamos muito em milagre, mas talvez o milagre seja ela ter chegado em um local sem todo esse sofrimento", afirmou.

De acordo com Nelson, Yasmin estava com atendimento no modelo Home Care, e quando era preciso, realizava procedimentos em Salvador.

Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

"Ela estava com procedimentos frequentes em Salvador, mas não estava internada, porque ela já tinha um suporte do Home Care em uma residência de um amigo nosso, mas com frequências, estávamos indo para Salvador. Ontem ela deu entrada por conta de uma crise respiratória com plaqueta baixa no sangue, precisou fazer transfusões de sangue, mas infelizmente ao longo da madrugada, ela teve algumas intercorrências e acabou falecendo em virtude das consequências da doença que já estavam se alastrando por um bom tempo", disse ao Acorda Cidade.

Foto: Arquivo Pessoal

Muito emocionado, Nelson explicou que o desejo nesse momento é poder dormir com a consciência de que tudo foi feito pela filha ainda em vida, oferecendo todos os modelos de tratamento.

"Eu como pai, como guardião de Yasmin, quero poder dormir hoje com a certeza que eu fiz de tudo para oferecer o melhor para minha filha. A gente não tinha a certeza se o tratamento que iríamos oferecer à ela, seria a salvação, mas a gente sempre pregou que enquanto há a vida, há a salvação. Agora que não há mais a vida, é continuar com a esperança em dias melhores, porque o legado de Yasmin vai continuar", concluiu.

Amigo da família, Paulo Sérgio Alves informou à reportagem do Acorda Cidade, que sempre acompanhou a trajetória do tratamento de Yasmin e manteve todas as esperanças na busca da cura.

Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

"Eu participo de eventos de carros antigos e quando ficamos sabendo da campanha que estava sendo feita para Yasmin, nós decidimos realizar uma Live e há poucos instantes, eu estava até conversando com Nelson, que Yasmin teve um grande papel em unir as pessoas que estavam afastadas. Ela foi uma grande guerreira, lutou até o fim, o pai, toda a família, fizeram o que pôde, mas a vontade de Deus foi esta, e neste momento, devemos respeitar. A gente vive em um mundo em que nos obriga a ficar preparado para o que pode acontecer. Eu estava acompanhando ela nas redes sociais, sempre conversando com o pai dela, sabíamos que era difícil, mas a gente tinha a Fé de conseguir a vitória. Ao mesmo tempo que é uma tristeza, é um alívio, porque a gente sabe que ela vinha sofrendo muito, então, tanto Nelson quanto a esposa, sabiam sobre o tratamento, que poderia até gerar mais um sofrimento, mas agora é entregar na mão de Deus", concluiu.

Fonte: Acorda Cidade

Postar um comentário

0 Comentários