Exposição de folhetos marca Dia do Cordelista em Feira de Santana

 

Data homenageia Leandro Gomes de Barros, pioneiro da literatura de cordel no país

O Mercado de Arte Popular abriu as portas, nesta sexta-feira, 19, para comemorar o Dia do Cordelista. A data é celebrada, pela primeira vez em Feira de Santana, com exposição de folhetos do poeta brasileiro Leandro Gomes de Barros (1865-1918), considerado o pioneiro da literatura de cordel no país – a data o homenageia.

A exposição reuniu painéis com centenas de cordéis que narram estórias e histórias do povo brasileiro, também de outros cordelistas. A iniciativa é do folheteiro Jurivaldo Alves, com apoio da Secretaria de Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico (Settdec). Além dos painéis, o evento realizado até o fim da tarde, teve recitações de poesia e exibição de filmes e documentários sobre a literatura de cordel.

“Tenho o acervo do cordelista Leandro Barros e decidi mostrar para a comunidade. É um prazer imenso para mim alcançar mais pessoas, principalmente o público adolescente. Hoje o cordel está nas salas de aula, mas precisa de mais divulgação”, afirma o folheteiro.

A exposição teve a presença do xilogravurista Luiz Natividade, vindo de Salvador, que aplicou a técnica diante dos olhos dos visitantes. A xilogravura foi criada pelos chineses, no século VI, e é considerada pelo artista como “o casamento perfeito com a literatura de cordel, porque facilita a leitura de uma pessoa analfabeta e ilustra a capa dos folhetos, tornando mais lúdico e atrativo”.

Os painéis expostos são utilizados por Jurivaldo em um museu itinerante, que atualmente está com programação suspensa por conta da idade do folheteiro e falta de tempo.

Ouça aqui o podcast



Postar um comentário

0 Comentários