União Brasil irá apresentar candidato à presidência, diz presidente do PSL

 

Novo "superpartido" aprovado na quarta-feira (6) ainda precisa do aval do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para ser oficializado


O deputado federal Luciano Bivar, presidente nacional do PSL, afirmou à CNN nesta quinta-feira (7) que o União Brasil, novo partido formado a partir da fusão do DEM com o PSL, irá apresentar um candidato à presidência da República nas eleições de 2022.

“Posso garantir aos brasileiros que o União Brasil irá apresentar um candidato à presidência [da República]”, afirmou Bivar.

Ao ser questionado sobre qual partido (DEM ou PSL) chegará com mais chances de lançar esse candidato em 2022, Bivar ponderou, dizendo que nova sigla escolherá o nome nas urnas em conjunto.

“Não quero raciocinar sobre nomes A ou B. Posso raciocinar na hipótese de que nosso partido, União Brasil, apresentará um candidato à presidência da República, isso eu não tenho dúvida”, declarou à CNN.

Na quarta-feira (6), o DEM e o PSL aprovaram, em suas respectivas convenções, a fusão das legendas, a criação e o estatuto do novo partido. A sigla, que adotará o número 44 nas urnas, terá a maior bancada na Câmara dos Deputados e crescerá o número de representantes no Senado Federal.

A criação do União Brasil ainda precisa do aval do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para ser oficializada. A expectativa é que o TSE dê a permissão até fevereiro de 2022, antes da abertura da janela partidária, que pode alterar o número de cadeiras com saída e entrada de parlamentares no partido.

À CNN, Bivar afirmou que o partido não está preocupado com a quantidade de representantes no Congresso. Segundo ele, tanto o DEM quanto o PSL defendem a democracia e o estado de direito, e, por este motivo, “aqueles que tem o mesmo propósito vão ficar no União Brasil”.

“Queremos no partido quem defenda os valores que falei: respeito a democracia e ao estado de direito. Quem não acredita, acredito que tem toda autonomia de decidir sair para o partido que bem entende”, disse. “Nossos valores são inegociáveis”.

Candidatura à Presidência

Em entrevista à CNN no dia 27 de setembro, o presidente nacional do DEM, ACM Neto, já havia dito que a fusão tem como prioridade “lançar um candidato à Presidência da República”.

“É obvio que o nosso desejo é que o novo partido nasça como o maior e o mais importante do Brasil, não apenas em número de parlamentares, mas em governadores para 2022, e a possibilidade de ter um projeto nacional próprio. Mas a prioridade do partido será lançar um candidato a Presidência da República”, afirmou.

Para ACM Neto, hoje existem figuras “muito qualificadas” dentro do DEM e do PSL que podem liderar o processo da disputa presidencial em 2022. O presidente do DEM, no entanto, afirmou que podem surgir novos nomes, sobretudo no pleito para governador.

Na quarta-feira (6), após oficialização do partido União Brasil, o deputado federal pelo DEM e ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta comentou a fusão dos partidos.

Segundo ele, que já demonstrou interesse em concorrer à presidência da República, a sigla tem “excelentes quadros e muita disposição para o protagonismo que os brasileiros esperam”.

“O Brasil precisa de união para vencer a fome, a desigualdade, a baixa qualidade da educação, os populismos, as iniciativas antidemocráticas e tantos outros problemas que nos afligem. Nasce o União Brasil. E eu seguirei comprometido em construir o Brasil da União”, escreveu em uma rede social.

Fonte: CNN Brasil

Postar um comentário

0 Comentários