Tudo o que você precisa saber sobre a nova companhia aérea da Europa

 

A partir de 15 de outubro, a ITA — Italia Trasporto Aereo — será a nova companhia aérea estatal da Itália. A ITA assumirá muitas das antigas rotas da Alitalia. Wikimedia Commons

Falta uma semana para o lançamento da mais nova linha aérea do mundo, e ela está prometendo trazer um pouco de dolce vita de volta aos céus.

A partir de 15 de outubro, a ITA — Italia Trasporto Aereo — será a nova companhia aérea estatal da Itália, após o decreto de falência da Alitalia em 14 de outubro.

A falência não é uma surpresa. A Alitalia vem sofrendo há anos e, mais recentemente, tem havido um debate sobre se a ITA era uma empresa separada o suficiente para assumir o controle e, ao mesmo tempo, se livrar das dívidas da Alitalia.

Mas em setembro, a UE decidiu que a ITA e a Alitalia são empresas separadas, o que significa que o ITA pode começar do zero.

As informações são escassas, mas aqui está o que sabemos até agora.

Quem é o dono da ITA?

A Italia Trasporto Aereo é “propriedade integral do Ministério da Economia e Finanças da Itália”, de acordo com seu registro junto ao Departamento de Transporte dos Estados Unidos. O objetivo, afirma, é criar “uma companhia aérea eficiente, inovadora e competitiva”.

Para onde vai voar?

Supunha-se que o ITA assumirá a maioria, senão todos, os slots da Alitalia. A Alitalia atendeu 94 destinos, 26 dos quais na Itália.

No entanto, a partir de seu site, o ITA vai começar devagar. As rotas à venda para viagens imediatas são as seguintes.

  • Itália: Brindisi, Bolonha, Bari, Catania, Roma, Gênova, Milão Linate, Nápoles, Palermo, Pescara, Reggio Calabria, Lamezia Terme, Trieste, Torino, Veneza, Verona.
  • Curta e média distância: Argel, Amsterdã, Atenas, Barcelona, ​​Bruxelas, Cairo, Dusseldorf, Frankfurt, Genebra, Londres Heathrow, Madrid, Malta, Munique, Nice, Paris (Charles de Gaulle e Orly), Tirana, Tel Aviv, Túnis, Zurique.
  • Longa distância: Tóquio, Nova York.
  • Há mais opções. Buenos Aires, Miami, Boston e São Paulo serão adicionados a partir de março de 2022, junto com Luxemburgo, Stuttgart e Florença. Mais destinos europeus estão programados para o verão de 2022, junto com Los Angeles.

Em 5 de outubro, a companhia aérea abriu as vendas de voos para os EUA com grande alarde. A Alitalia voou todas as rotas que escolheu, bem como Roma a Chicago. A ITA solicitou a adição de voos para Chicago, Francisco, San Francisco e Washington DC no futuro.

O fato de a ITA ter enviado um comunicado à imprensa sobre seus voos nos Estados Unidos indica que a empresa pode estar querendo se concentrar em negócios de longa distância. Isso será um alívio para alguns que estavam preocupados com o fato de o foco doméstico da Alitalia ser a chave para sua queda.

Os aviões serão da Alitalia?

Não permanentemente. Uma das poucas decisões que a ITA anunciou é ter uma frota composta exclusivamente por Airbus.

A companhia aérea anunciou que vai comprar 28 aeronaves novas e arrendar mais 45 — em termos, diz ela, mais favoráveis ​​do que os da Alitalia.

Os primeiros jatos novos entrarão na frota no início de 2022 e, no final de 2025, a ITA informa que 70% da frota será composta por aeronaves de nova geração, menos nocivas ao meio ambiente.

A empresa planeja começar com 52 e aumentar para 105 até 2025.

No entanto, isso ainda é um plano para o longo prazo.

Em seu documento DoT, a ITA escreveu que antes de subir aos céus em 15 de outubro, terá adquirido “certos ativos (como aeronaves) da Alitalia”. Portanto, as coisas devem ser bastante semelhantes no início.

ITA é o nome final?

Não necessariamente.

Nesse mesmo processo, a ITA informou que vai “participar de uma licitação para adquirir a marca Alitalia”. Não há nenhuma pista de quando isso aconterá.

Ela continuará com o programa de fidelidade da Alitalia?

Não — a UE não permitiu isso.

No entanto, em nota de imprensa, a ITA anunciou um “novo programa de fidelização” que “potencialmente pode ser integrado com os de outros parceiros industriais” e que está “totalmente focado nas necessidades do cliente de flexibilidade e acessibilidade aos voos”.

Ainda não há sinal de qual aliança assinará, se houver.

Quem vai desenhar os uniformes?

Essa é a pergunta que todo mundo quer saber, mas a ITA está mantendo o segredo — um porta-voz se recusou a compartilhar detalhes com a CNN. No entanto, tenha esperança de que eles sejam decentes — afinal, esta é a Itália.

Em 2018, apesar da falência, a Alitalia desembolsou um novo uniforme para tripulação desenhado por Alberta Ferretti. O logotipo da ITA é certamente muito chique.

Como são as tarifas?

Competitivas.

Um voo de retorno de JFK à Roma nas datas que escolhemos em novembro custava US$ 498. Isso comparado a US$ 505 na Delta.

Enquanto isso, uma viagem de Milão a Londres custava US$ 98 ida e volta, em comparação com US$ 120 da British Airways.

Para aqueles que desejam viajar para aeroportos mais distantes do que Heathrow, a Ryanair cobrava apenas US$ 22 para viagens de ida e volta, e a easyJet, apenas US$ 41. Essa competição de curta distância será o maior desafio para a ITA.

Qual é o protocolo da Covid-19?

A ITA anunciou que todo o seu pessoal deveria ser vacinado muito antes de a Itália tornar a vacinação obrigatória para os trabalhadores de todo o país.

As temperaturas serão medidas antes do voo e os passageiros devem usar máscaras. Nenhuma roupa pode ser armazenada nos armários superiores e as pessoas serão embarcadas em pequenos grupos.

Os lounges da classe executiva estão fechados no momento, mas os que têm direito ao acesso receberão um cupom para usar nas lojas de alimentação do aeroporto.

A ITA afirma que, graças aos filtros HEPA, o ar a bordo é tão estéril quanto uma sala de cirurgia e é renovado a cada três minutos.

A empresa vai sobreviver?

É isso que todos esperam saber, e a competição de curta distância será seu maior desafio.

Mas com uma nova frota, nova energia, nova liderança e sem dívidas, suas chances são definitivamente melhores do que a Alitalia.

Com apenas 16 destinos italianos e 22 mais distantes para começar, a ITA está dando um passo de cada vez.

(Este texto é uma tradução. Para ler o original, em inglês, clique aqui)

Fonte: CNN Brasil

Postar um comentário

0 Comentários