Sem saber qual problema de saúde do filho, mãe busca atendimento médico para iniciar tratamento

 


A dona de casa Elaine Moreira de Abreu, 28 anos, moradora do bairro Asa Branca em Feira de Santana, está convivendo a cada dia com o coração aflito. O filho dela, Caio Moreira dos Ramos de apenas 1 ano e dois meses, está perdendo peso com frequência e ainda não foi diagnosticado qual o problema de saúde ocasiona isto.

Em entrevista ao Acorda Cidade, Elaine explicou que precisa ficar monitorando o filho a todo instante, pois com a perda de peso, o pequeno garoto está perdendo forças, não conseguindo ficar sentado.

"O meu filho está perdendo peso a cada dia que passa e ele não está tendo um atendimento domiciliar frequente, apenas uma vez no mês por não ser considerado como paciente crítico, mas eu considero ele sim, como um paciente crítico. Eu não posso tomar um banho e deixar ele só, eu não posso parar para almoçar e deixar ele só, porque no instante que eu viro, ele já está com lábios roxos, ele perde os movimentos, não está mais querendo ficar sentado porque ele se cansa. As mãos dele por exemplo, estão atrofiando e ele pode perder todos os movimentos e eu solicito essa ajuda através de um fisioterapeuta, um um fonoaudiólogo, porque ele só tem 1 ano e dois meses", explicou.

O pequeno Caio Moreira já foi internado por três vezes. De acordo com Elaine, na última internação no Hospital Estadual da Criança (HEC), ele passou três meses ontubado.

"Caio já ficou três vezes internado, ficou a primeira vez passando 1 mês e 18 dias, depois ficou mais 5 dias e a última internação dele, foram 3 meses com pneumonia e aí teve que fazer a traqueostomia e uma gastro nesse período ficou intubado. Depois desses procedimentos, ele só vive perdendo peso, e não sei o que pode acontecer com meu filho", relatou.

Sem poder trabalhar para poder cuidar do filho, Elaine recebe ajuda de amigos e familiares. De acordo com ela, o esposo realiza alguns serviços, chamados de 'bicos', mas não tem algo fixo.

"Graças a Deus eu recebo muita ajuda das pessoas, recebo cesta básica, minha avó também me ajuda, porque infelizmente eu não consigo trabalhar e na verdade eu nem tenho como trabalhar, meu esposo faz bico, porém não são todos os dias. Hoje nesse momento, estamos tentando descobrir o que realmente ele tem ou o que não tem para iniciar os tratamentos, porque eu vejo a hora meu Deus, de perder o meu filho do jeito que ele está". Infelizmente nós não temos recursos para fazer as consultas particulares e pelo setor público, o Serviço Único de Saúde (SUS), só a misericórdia de Deus, porque quando a gente leva ele em uma unidade, eles não falam nada, passam um remédio e pronto, declarou.

 

Quem tiver interesse em ajudar Elaine a descobrir se o filho tem alguma doença e iniciar um tratamento o telefone para contato é: (75) 991846569.

Fonte: Acorda Cidade

Postar um comentário

0 Comentários