Princesa Mako do Japão abandonará status real para se casar com plebeu no dia 26

 

Princesa Mako do Japão abrirá mão de seu status real e do pagamento de US$ 1 milhão por casamento com colega de faculdade
Pela lei imperial do Japão, apenas homens herdam o trono; Kei Komuro e Mako devem se mudar para Nova York após o casamento. Princesa Mako do Japão abrirá mão de seu status real e do pagamento de US$ 1 milhão por casamento com colega de faculdade. Carl Court/Getty Images


CNN Brasil - A princesa Mako do Japão e seu noivo Kei Komuro anunciaram nesta sexta-feira (1º) que se casarão no dia 26 de outubro, informou a emissora pública NHK.

A união tem causado polêmica no Japão e exige que ela desista de seu status real.

A neta de 29 anos do ex-imperador Akihito e o plebeu Komuro anunciaram seu noivado em 2017.

Princesa Mako e Komuro se conheceram enquanto frequentavam a International Christian University, em Tóquio, em 2012.

Antes de ser apresentado como noivo real, Komuro era mais conhecido como o “Príncipe do Mar”, após ter aparecido em uma campanha de turismo de praia para a cidade de Fujisawa, ao sul da capital.

O casal deve se mudar para Nova York após o casamento, onde Komuro trabalha como advogado.

A princesa irá supostamente renunciar a um pagamento de mais de US$ 1 milhão, que ela deveria receber para começar sua nova vida fora da realeza.

Segundo a lei imperial do Japão, apenas herdeiros do sexo masculino podem herdar o trono.

Se as outras princesas solteiras da família se casassem com plebeus, elas também perderiam seu status real, apesar da impossibilidade de assumir o trono.

A saída da princesa do Japão e a abdicação do status real pode deixar a família imperial sem membros suficientes para cumprir suas obrigações públicas.

Yoko Wakatsuki contribuiu com esta reportagem.

(Este texto é uma tradução. Para ler o original, em inglês, clique aqui)

Postar um comentário

0 Comentários