PF investiga fraude na compra de medicamentos de alto custo no Ministério da Saúde

 

Polícia Federal
Segundo a PF, há indícios de fraude na compra, entre 2016 e 2018, com pagamentos antecipados irregulares, favorecimento de empresas específicas e atrasos que agravaram a saúde dos pacientes. Polícia Federal

CNN Brasil - A Polícia Federal realiza nesta terça-feira (21) a Operação Pés de Barro, que investiga suspeitas de fraudes na aquisição de medicamentos de alto custo pelo Ministério da Saúde entre os anos de 2016 e 2018.

São 61 policiais federais, que cumpriram 15 mandados de busca e apreensão nos estados de Alagoas, Minas Gerais, Pernambuco, São Paulo e em Brasília.

A investigação trata de uma relação de cinco medicamentos que o governo federal foi obrigado a adquirir por decisões judiciais, movidas por pacientes que demandaram o medicamento alegando direito à saúde.

Segundo informações da PF, há indícios de fraude na compra desses medicamentos pela Diretoria de Logística, com pagamentos antecipados irregulares, favorecimento de empresas específicas e atrasos que agravaram a saúde dos pacientes, sendo que 14 teriam morrido em razão da demora.

A estimativa é de um prejuízo de mais de R$ 20 milhões

“Os envolvidos podem responder pelos crimes de fraude à licitação, estelionato, falsidade ideológica, corrupção passiva, prevaricação, advocacia administrativa e corrupção ativa”, afirma a Polícia Federal, em nota.

O nome da operação, Pés de Barro, é uma metáfora de origem bíblica.

“A expressão pés de barro é uma metáfora com origem no antigo testamento, referente à interpretação de um sonho do rei Nabucodonosor II pelo profeta Daniel. No trecho bíblico, verificam-se belas promessas, porém contraditórias na execução”, diz o comunicado.

Postar um comentário

0 Comentários