Pacientes sem regulação aumentam fluxo de atendimento no Hospital da Mulher

 

Muitas chegam sem a documentação necessária e sem fazer o pré-natal completo

Pacientes que chegam de outros municípios, sem regulação, têm causado transtornos no fluxo de atendimento no Hospital Inácia Pinto dos Santos (Hospital da Mulher). Somente no primeiro semestre deste ano, cerca de 1.050 dessas gestantes deram entrada na unidade hospitalar.

Segundo a diretora presidente da Fundação Hospitalar de Feira de Santana, Gilberte Lucas, a situação está “insustentável” para os profissionais de saúde. São pacientes que chegam no hospital sem a documentação necessária e muitas delas sem fazer o pré-natal completo.

“O Hospital da Mulher é uma maternidade porta aberta para as feirenses. Demais municípios devem seguir os critérios da regulação e pactuação estadual”, afirma. Gilberte Lucas destacou a intenção em adotar medidas judiciais a fim de inibir essas irregularidades.

De janeiro a agosto deste ano, o Hospital da Mulher realizou 37.186 atendimentos, sendo que desse total 7.403 pacientes necessitaram de internamento para o parto.

Entre as cidades não pactuadas à rede municipal de Saúde e que ainda assim buscaram assistência na unidade hospitalar foram: Saubara, Piritiba, Santo Amaro, Ibiquera, Mata de São João, Inhambupe, Itaparica, Camaçari, Cruz das Almas, Amargosa, Itapetinga e Tapiramutá.



Postar um comentário

0 Comentários