Comércio de Feira tem movimento fraco neste feriado com poucas lojas abertas

 


O movimento no comércio de Feira de Santana, nesta terça-feira (7), feriado da Independência, foi abaixo do esperado pelos lojistas que resolveram abrir as portas. O funcionamento de lojas e supermercados foi autorizado, pelos Sindicatos Patronal e dos Trabalhadores do Comércio, obedecendo à Convenção Coletiva.

Foto: Paulo José/ Acorda Cidade

O gerente de uma loja de móveis e eletros na Avenida Senhor dos Passos, Lindomar Costa, lamentou o baixo movimento e reclamou também das obras do projeto Novo Centro, que foram realizadas hoje na via, fechando a passagem para veículos.

Foto: Paulo José/ Acorda Cidade

“Abrimos a loja com uma expectativa boa, porém a maioria das pessoas optou por descansar, passear, e também está tendo uma obra da prefeitura na Avenida Senhor dos Passos, que empatou um pouco a passagem de carros e pessoas, e o movimento hoje não foi o esperado. Mas, é lutar pra superar durante a semana o movimento de hoje, que não foi muito bom. Pouquíssimas lojas abriram, e acabaram até se arrependendo por conta do movimento, que o fluxo está quase zero”, afirmou o gerente.

Maria Aparecida Macedo, vendedora de uma loja de calçados, informou que a empresa convocou seis funcionários para trabalhar neste feriado, porém o movimento foi muito fraco e o estabelecimento resolveu fechar às 14h.

Foto: Paulo José/ Acorda Cidade

“Está parado e estão fazendo uma construção na Senhor dos Passos, no meio da pista. Como é que os carros vão passar? Com a obra, tudo interditado, não tem como os clientes passarem. Prejudicou, não vendemos quase nada”, reclamou.

Também gerente de loja, Sandro Cunha avaliou que as obras da prefeitura na Senhor dos Passos dificultaram as vendas.

Foto: Paulo José/ Acorda Cidade

“O movimento realmente foi fraco. Por ser um feriado numa terça-feira, muita gente viaja, não trabalha na segunda e outra coisa foi o acesso à Senhor dos Passos, que foi fechado, devido às obras. Então dificultou mais, e realmente não existiu movimento. Nos feriados, os clientes que compram é que vão passando de carro, veem algumas lojas abertas e param pra comprar. Mas como a Senhor dos Passos ficou fechada, dificultou e não compensou”, disse.

 

Fonte: Acorda Cidade

Postar um comentário

0 Comentários