Cai índice de notificação de doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti em Feira

 

Entre os fatores que podem ter contribuído para a redução, está a pandemia da Covid-19

Feira de Santana tem registrado queda no índice de notificação das arboviroses – doenças transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti. Somente neste ano, foram notificados 606 casos suspeitos, sendo 109 confirmados para dengue, 48 Chikungunya e 7 Zika. Enquanto ano passado, foram 11.924 casos notificados.

Na avaliação da coordenadora da Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde, Carlita Correia, entre os fatores que podem ter contribuído para a redução, está a pandemia da Covid-19. Situação em que a população sente os sintomas da arbovirose e, sozinha, atribui ao coronavírus, não procurando os serviços de saúde.

“Nas unidades de saúde os profissionais estão treinados para identificar e diferenciar os sinais e sintomas referente a ambas doenças. Vale destacar que a notificação dos casos é importante para desencadear ações na região, o que interrompe a cadeia de transmissão da arbovirose”, explica Carlita Correia.

Ao sentir sintomas como febre, dores nas articulações, náuseas/vômito, dor nos olhos e manchas no corpo, a Secretaria de Saúde recomenda procurar a unidade de saúde mais próxima de casa. No local, será feita a avaliação, medicação e encaminhamentos – se necessário.

O Centro Municipal de Referência em Endemias é o responsável pelas operações de controle do mosquito Aedes Aegypti, realizando a aplicação de larvicida em água parada, bloqueio da cadeia de transmissão e trabalho perifocal diariamente, inclusive nos finais de semana. Segundo o coordenador do órgão, Edilson Matos, o cuidado da população é essencial.

“Evitar manter recipientes com água parada, colocar areia na base dos vasos de plantas e não deixar tanques de água descobertos são ações simples, mas importantes para evitar a reprodução do mosquito”, enfatizou o coordenador do Centro Municipal de Referência em Endemias, Edilson Matos.

Postar um comentário

0 Comentários