Brasil lidera ranking global de espécies de árvores ameaçadas de extinção

 

Tronco de árvore em chamas na Amazônia: pressão de estrangeiros contra desmatamento
No mundo todo, 30% das espécies de árvores encontram-se sob perigo, diz relatório publicado nesta quarta-feira (01). Tronco de árvore em chamas na Amazônia: pressão de estrangeiros contra desmatamento. Foto: Ueslei Marcelino - 23.ago.2019/ Reuters

CNN Brasil - Quase um terço das espécies de árvores do mundo está em risco de extinção e centenas estão à beira da extinção, de acordo com um relatório histórico publicado pela “Botanic Gardens Conservation International” (BGCI) na quarta-feira (01).

Milhares de variedades de árvores nos seis principais países do mundo para a diversidade de espécies estão em risco. O maior número absoluto é no Brasil, onde 1.788 espécies estão em risco de extinção.

Os outros cinco países são Indonésia, Malásia, China, Colômbia e Venezuela.

De acordo com o relatório “State of the World’s Trees”, 17.500 espécies de árvores – cerca de 30% do total – estão em risco de extinção, enquanto 440 espécies têm menos de 50 representantes na natureza.

Em geral, o número de espécies de árvores ameaçadas é o dobro do número de mamíferos, aves, anfíbios e répteis ameaçados em conjunto, diz o relatório.

“Este relatório é um alerta para todos ao redor do mundo de que as árvores precisam de ajuda”, disse o Secretário Geral da BGCI, Paul Smith, em uma declaração.

Entre as árvores de maior risco estão espécies que incluem magnólias e dipterocarpos – que são comumente encontradas nas florestas tropicais do sudeste asiático. Os carvalhos, áceres e ébanos também enfrentam ameaças, disse o relatório.

As árvores ajudam a apoiar o ecossistema natural e são consideradas vitais para combater o aquecimento global e as mudanças climáticas. A extinção de uma única espécie de árvore poderia provocar a perda de muitas outras.

“Cada espécie de árvore importa – para os milhões de outras espécies que dependem das árvores, e para as pessoas em todo o mundo”, acrescentou Smith.

As três principais ameaças que as espécies arbóreas enfrentam são a produção agrícola, a exploração madeireira e a pecuária, diz o relatório, enquanto as mudanças climáticas e o clima extremo são ameaças emergentes.

Pelo menos 180 espécies de árvores estão diretamente ameaçadas pela subida dos mares e por condições climáticas severas, especialmente espécies insulares como as magnólias no Caribe.

Embora os países megadiversos vejam um maior número de variedades em risco de extinção, espécies de árvores insulares estão proporcionalmente em maior risco.

“Isto é particularmente preocupante porque muitas ilhas têm espécies de árvores que não podem ser encontradas em nenhum outro lugar”, acrescentou o relatório.

Postar um comentário

0 Comentários