Segunda dose da Pfizer ainda não está no prazo recomendado

 

Intervalo é de 90 dias; a primeira dose foi aplicada há 82 dias

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) deu início à aplicação da primeira dose da vacina Pfizer em 21 de maio, devendo aplicar a segunda dose em 90 dias. Portanto, ainda não há pessoas no período indicado para esta vacinação.

O que tem ocorrido, segundo o secretário de Saúde, Marcelo Britto, é que muitas pessoas estão tentando antecipar a aplicação e, como não foi possível devido à falta de vacinas destinadas para a segunda dose, surgiram rumores de falta de vacinas. A previsão é de que uma nova remessa, para esta aplicação, chegue ao município nesta quinta-feira, 12. 

“Conferi as cadernetas de vacinação das pessoas que reclamaram da ausência da Pfizer, mas o que ocorre é que elas estão tentando antecipar a imunização. A expectativa é que nos próximos dias cheguem novas doses”, explicou observando que a aplicação dessa vacina ocorreu há 82 dias, portanto, está "dentro dos prazos preconizados". 

O gestor da pasta destaca ainda que as doses que serão enviadas ao município não poderão ser antecipadas.

“Não há, no momento, essa possibilidade. Por isso, solicito que a população não deixe de ir na data correta para tomar a sua segunda dose, sob o risco de depois não ter vacinas”.

Postar um comentário

0 Comentários