Piso do calçadão da Sales Barbosa cede com passagem de caminhões

 


Alguns trechos do piso do calçadão da Rua Sales Barbosa, em Feira de Santana, cederam nos últimos dias. Segundo comerciantes, o motivo foi a passagem de caminhões que realizaram carga e descarga de mercadorias e também caminhões que foram utilizados para recolher materiais das obras do Projeto Novo Centro e da poda de árvores.

Foto: Paulo José/Acorda Cidade

O comerciante Amaury Souza opinou que o piso não foi feito com uma boa base de sustentação e por isso está cedendo. Ele declarou que entende que no calçadão só devem passar veículos para uma emergência, mas analisou que o piso atual tem como base a areia.

Foto: Paulo José/Acorda Cidade

“Aqui só podem passar veículos em situação de emergência, em caso de incêndio ou outra situação, fora isso não tem condições nenhuma. O piso não suportou a passagem dos caminhões e a estrutura cedeu”, disse.

Aline Amorim, que trabalha no calçadão, frisou que há algum tempo vem percebendo alguns trechos onde o piso está cedendo. Segundo ela, os pedestres precisam caminhar com atenção, para não se acidentarem.

Foto: Paulo José/Acorda Cidade

“Podem ter uma queda, um acidente. Não sei informar quando começou a ceder, mas pelo que eu percebi tem algum tempo. Está cedendo e se continuar passando, vai ceder ainda mais, e eu acho complicado. É como se tivessem começado todas as obras de vez. Não terminam e é como se tivessem prolongando e então fica até complicado com a gente, porque a gente fica esperando terminar e não termina”, comentou.

O comerciante Joaquim Cordeiro informou que alguns trechos do calçadão já tiveram inclusive a passagem bloqueada pela prefeitura com o objetivo de evitar o trânsito de caminhões e outros veículos. Na opinião dele, caminhões devem passar pela via apenas quando houver muita necessidade.

Foto: Paulo José/Acorda Cidade

“Em alguns pontos entraram caminhões, caminhonetes, há gente reformando lojas e alguns pontos cederam naturalmente pelas chuvas. A prefeitura já fechou algumas entradas e somente vão passar os caminhões em uma situação de incêndio ou uma exceção.

O secretário municipal de planejamento, Carlos Brito, confirmou que o piso do calçadão está cedendo em alguns pontos e que a prefeitura está fazendo essa verificação. De acordo com ele, a saída para impedir que isto ocorra é a implantção de barreiras.

Foto: Paulo José/Acorda Cidade

“Em alguns trechos já têm, mas vamos colocar mais para evitar entrada de caminhões durante toda a extensão. Nós construimos quase 49 mil metros de blocos intertravados e se tiver uma intercorrência de 5% ou 10% é execessivamente grande. Veículos de serviço, uma ambulância passando pelo local configuram uma situação diferente, não serviço de carga e descarga”, relatou.

Carlos Brito ressaltou também que a previsão para a conclusão das obras do Projeto Novo Centro é até o início do mês de outubro e que a Rua Marechal Deodoro deve se estender um pouco mais seguindo até meados de novembro.

 

Fonte: Acorda Cidade

Postar um comentário

0 Comentários