'Está na hora de correr o risco', diz prefeito sobre liberação de eventos com até 500 pessoas

 


Após receber críticas acerca da liberação dos eventos com até 500 pessoas, o prefeito de Feira de Santana, Colbert Martins, informou na manhã desta sexta-feira (13), em entrevista ao Acorda Cidade, que decidiu tomar a medida e avançar na reabertura da economia da cidade, mesmo após ser alertado pela infectologista do município sobre os riscos dessa decisão.

"A doutora Melissa (Falcão) acha que é arriscado abrir agora, mas eu decidi tomar a medida de fazer. Eu acho que está na hora de se correr o risco. A doutora Melissa é a pessoa com quem eu divido todas as informações, desde o princípio, mas nesse momento eu entendo que a abertura deve ocorrer. Aliás, o governo do estado foi quem fez esse acesso maior e Salvador também”, declarou o gestor municipal.

Ele afirmou que o governo da Bahia já fez essa mudança, liberando eventos com até 500 pessoas, assim como em outros estados do país.

“Os eventos estão acontecendo em grande parte do país, e como estamos avançando na vacinação, a maioria das pessoas já tem uma etapa da sua vacinação cumprida, entendemos que Feira de Santana já abriu tudo, não tem mais nada pra ser aberto. Os bares estão funcionando, já que estão, vamos ampliar a quantidade de pessoas para tocar nesses bares, porque elas precisam sobreviver também”, avaliou.

Regras

O prefeito Colbert Martins informou que apesar dos eventos estarem liberados para até 500 pessoas, algumas exigências terão que ser seguidas pelos organizadores, a exemplo da apresentação do cartão de vacinação pelos participantes.

“O que nós queremos é deixar claro que para fazer eventos com até 500 pessoas, os convidados vão ter que apresentar o cartão de vacina. É uma exigência. E 10% das pessoas nos eventos terão que ser testadas pelos que promovem os eventos, então se houver 100 pessoas em um evento, 10 terão que fazer o teste prévio. As pessoas que frequentam esses ambientes, a prefeitura vai receber a lista para se por acaso acontecer alguma coisa a prefeitura possa fazer a busca ativa. Estamos trazendo mais segurança do que as reuniões clandestinas que aconteceram, mesmo a gente fiscalizando. A nossa fiscalização irá controlar esses eventos. Eles são importantes para a volta da economia. Temos problemas, mas as festas de chácaras estão acontecendo de forma clandestina e agora não ocorrer de forma oficial”, destacou. 

Postar um comentário

0 Comentários