Conheça os maiores aviões que já voaram ou ainda voam com companhias brasileiras

 Maiores aviões que já voaram em companhias do BrasilNo passado, companhias aéreas nacionais voaram com algumas das maiores aeronaves de passageiros do mundo. Maiores aviões que já voaram em companhias do Brasil Foto: Divulgação Latam/Azul/Alain Durante, Guido Allieri, Aeroprints - Creative Commons


CNN Brasil - mercado de aviação comercial do Brasil atualmente não é um terreno fértil para operações com aviões gigantes, como os suntuosos Airbus A380 e o Boeing 747-8 que podem transportar mais de 500 ocupantes. Apesar disso, no passado, outras companhias aéreas nacionais já voaram com algumas das maiores aeronaves de passageiros do mundo.

Há também empresas brasileiras que hoje contam com grandes aviões nas frotas, embora esses modelos não alcancem o porte e capacidade dos jatos comerciais de maior porte da atualidade.

Conheça a seguir os maiores aviões comerciais que já voaram ou ainda voam com companhias aéreas do Brasil:

Boeing 777-300ER

Boeing 777
Foto: Divulgação/Latam
  • Comprimento: 73,8 metros
  • Envergadura: 60,9 metros
  • Peso máximo de decolagem: 351.533 kg
  • Capacidade máxima de passageiros: 550 ocupantes

Levando em conta a medida do comprimento, o maior avião comercial que voou (e ainda voa) com as cores de uma companhia aérea brasileira é o Boeing 777-300ER. O bimotor estreou no Brasil com a TAM Linhas Aéreas (atual Latam Airlines Brasil) em 2008. A empresa opera atualmente dez exemplares do “Triple Seven”, configurados para receber até 379 passageiros.

Antes da Latam, outra empresa nacional que operou o 777 foi a extinta Varig, mas na versão menor, o 777-200ER (embora fosse configurado para receber 440 passageiros). A antiga companhia gaúcha voou com oito modelos do tipo, entre 2001 e 2006.

Boeing 747-400

Varig 747
Foto: Divulgação
  • Comprimento: 70,6 metros
  • Envergadura: 64,4 metros
  • Peso máximo de decolagem: 412.800 kg
  • Capacidade máxima de passageiros: 660 ocupantes

Boeing 747, o icônico “Jumbo”, já esteve entre nós. O clássico quadrimotor foi o avião mais pesado que voou com uma companhia aérea brasileira, a Varig. O maior modelo operado pela empresa foi o 747-400, de 1991 até 1994, com três unidades na frota. As aeronaves configuradas para transportar 382 passageiros foram usadas em rotas com destinos nos Estados Unidos, Europa, África e Ásia.  

A Varig também voou com versões anteriores do 747, os modelos 200 e 300, entre as décadas de 1980 e 1990.

Airbus A340-500

Airbus A340-500
Foto: Guido Allieri/Creative Commons
  • Comprimento: 67,9 metros
  • Envergadura: 63,4 metros
  • Peso máximo de decolagem: 380.000 kg
  • Capacidade máxima de passageiros: 375 ocupantes

Primeiro avião quadrimotor produzido pela Airbus, o A340 voou com a TAM entre 2007 e 2011. A companhia teve dois exemplares do modelo na versão A340-500, o segundo maior da série, que podia percorrer incríveis 16.000 km num único voo.

Esse recorde foi superado somente em 2005 pelo Boeing 777-200LR, que tem autonomia acima de 17.000 km.

Airbus A350-900

A350
Foto: Divulgação/Latam
  • Comprimento: 66,8 metros
  • Envergadura: 64,7 metros
  • Peso máximo de decolagem: 280.000 kg
  • Capacidade máxima de passageiros: 440 ocupantes

Um dos jatos comerciais mais avançados do mundo, o Airbus A350-900 voou a serviço da Latam Airlines Brasil entre 2016 e 2021. Ao todo, a companhia teve oito exemplares da aeronave na frota, ajustadas para embarcar 348 passageiros em três classes e com alcance de 15.000 km.

A empresa também cogitou adquirir o A350-1000, o maior da série, mas acabou declinando o modelo.

Airbus A330-900neo

A330
A330. Foto: Dilvugação/Azul
  • Comprimento: 63,6 metros
  • Envergadura: 64 metros
  • Peso máximo de decolagem: 251.000 kg
  • Capacidade máxima de passageiros: 460 ocupantes

Aeronave widebody (de fuselagem larga) mais recente da Airbus, o A330-900neo é atualmente o principal avião de longo alcance da companhia Azul Linhas Aéreas. A empresa possuí quatro unidades da aeronave configuradas para transportar 298 passageiros.

A Azul também tem na frota outros oito jatos A330-200, que é o antecessor do A330-900neo, de menor envergadura (60,3 metros) e peso máximo de decolagem inferior (230.000 kg). A TAM e a extinta Avianca Brasil também já trabalharam com este modelo.

McDonnell Douglas MD-11

MD11
Foto: Alain Durand/Creative Commons
  • Comprimento: 61,6 metros
  • Envergadura: 51,9 metros
  • Peso máximo de decolagem: 273.294 kg
  • Capacidade máxima de passageiros: 410 ocupantes

Último grande trimotor da aviação comercial, o McDonnell Douglas MD-11 foi um importante avião no mercado de voos internacionais no Brasil entre a década de 1990 e início dos anos 2000. Por aqui, a aeronave prestou serviços com três companhias aéreas: Varig, Vasp e TAM.

A Varig foi a maior operadora do MD-11 no Brasil, com 26 unidades, seguida da Vasp, com nove jatos, e a TAM, que teve três aparelhos do tipo na frota.

Douglas DC-10-30

McDonnell Douglas
Foto: Alain Durand/Creative Commons
  • Comprimento: 55,3 metros
  • Envergadura: 50,3 metros
  • Peso máximo de decolagem: 251.744 kg
  • Capacidade máxima de passageiros: 380 ocupantes

Outro clássico avião comercial de três motores, o Douglas DC-10-30 (depois MD-10-30) foi mais um dos gigantes dos ares que voou no Brasil transportando passageiros, com a Varig e a Vasp.

A Varig foi a primeira empresa nacional e receber o DC-10, em 1974, e voou com o aparelho até 2005. Nesse período, a companhia teve 15 exemplares do modelo. Com a Vasp, o uso da aeronave foi breve, de 1997 a 1998, e limitado em apenas três aeronaves.

Boeing 767-300ER

Boeing767
Foto: Torsten Maiwald/Creative Commons
  • Comprimento: 54,9 metros
  • Envergadura: 47,5 metros
  • Peso máximo de decolagem: 186.900 kg
  • Capacidade máxima de passageiros: 290 ocupantes

Avião que estreou no mercado nacional com a extinta Transbrasil, em 1982, o Boeing 767 é até hoje um dos widebodies (de fuselagem larga) mais populares no Brasil. A maior versão do bimotor utilizada no país é o 767-300ER, que segue em serviço com a Latam Airlines Brasil (com nove exemplares na frota).

O 767-300ER (e o modelo menor, 767-200ER) de passageiros também serviu na frota da Varig, BRA Transportes Aéreos e OceanAir. Como cargueiro, o modelo segue voando com a Latam Cargo (antiga TAM Cargo).

Airbus A300B4-200

AirbusA300
Foto: Pedro Aragão/Creative Commons
  • Comprimento: 53,6 metros
  • Envergadura: 44,8 metros
  • Peso máximo de decolagem: 165.000 kg
  • Capacidade máxima de passageiros: 345 ocupantes

Jato de passageiros que revolucionou as viagens de longa distância, o Airbus A300 foi o primeiro avião bimotor widebody (de fuselagem larga) a estrear no mercado de aviação comercial, em 1974. A aeronave chegou ao Brasil em 1981 para voar com a Varig após a incorporação da Cruzeiro do Sul, que mediou a encomenda original de quatro unidades na versão A300B4-200.

Outra companhia brasileira que operou o A300 foi a Vasp, na versão A300B2-200 (de menor alcance). A empresa paulistana adquiriu três unidades da aeronave e voou com os aparelhos até 2005, ano em que encerrou as atividades. Os modelos da Varig deixaram a frota em 1990.

Boeing 757-200

B757-200
B757-200. Foto: Aeroprints/Creative Commons
  • Comprimento: 47,3 metros
  • Envergadura: 38 metros
  • Peso máximo de decolagem: 115.000 kg
  • Capacidade máxima de passageiros: 239 ocupantes

Maior jato narrowbody (de corpo estreito) de todos os tempos, o Boeing 757 figura entre os grandes aviões comerciais que voaram com empresas aéreas do Brasil. A primeira foi a Varig, que operou quatro aparelhos da versão 757-200 no curto período entre 2004 e 2006.

Essas aeronaves eram configuradas para transportar 200 passageiros. Posteriormente esses modelos foram convertidos em cargueiros e repassados a Varig Log, que continuou no mercado até 2012 (a Varig fechou antes, em 2006). A extinta OceanAir também teve um exemplar do jato, entre 2007 e 2008.

Postar um comentário

0 Comentários