Bitcoin volta aos US$ 50 mil: ‘crise trouxe tempestade perfeita a criptoativos’

 

Embora valorizado, especialistas alertam que investimento é considerado de risco e requer cautela

bitcoin teve valorização de 45% em um mês e ensaia voltar ao recorde de abril, quando chegou a valer quase US$ 65 mil. Uma unidade da criptomoeda vale hoje quase US$ 50 mil e, para especialistas, a tendência é atingir os US$ 100 mil dólares no fim do ano. No entanto, antes de investir é importante entender a oscilação e a volatilidade da moeda.

O empresário Gustavo Yamashiro sempre investiu em mercados mais tradicionais, como fundos imobiliários, Tesouro Direto e ações, e tinha um pé atrás quando o assunto eram bitcoins. Até que, em 2019, ele resolveu arriscar e aplicou só 1% do próprio patrimônio. Hoje em dia, aumentou para 5%. Ele se considera um investidor moderado.

“Muitas pessoas que acabam investindo mais do que podem em criptomoedas, por causa das valorizações e, muitas vezes, não se preparam para uma queda eventual. Então esses 5%, para mim, estão de bom tamanho”, afirmou.

A criptomoeda mais famosa do mundo superou, nesta semana, a casa dos US$ 50 mil dólares pela primeira vez em três meses, em meio a um interesse renovado dos investidores pelo bitcoin. Dentre os motivos para a recente alta dos preços dos ativos digitais, destaca-se a adesão de empresas não-financeiras.

As criptmoedas são ativos como o real, o dólar e o euro, mas que circulam apenas em ambiente digital. Segundo a análise do executivo de novos negócios do mercado Bruno Milanello, a pandemia trouxe um cenário de tempestade perfeita para os criptoativos se destacarem, já que o bitcoin é um ativo digital preparado para esse tipo de situação.

“É um ativo que foi desenhado, literalmente, para navegar online, um ativo que só tem na forma digital. Por isso, ele encaixou perfeitamente nessa situação onde todo mundo estava dentro das suas casas e procurando por alguma alternativa de investimento que pudesse blindar um pouco o risco que elas estavam correndo”, explicou Milanello.

O potencial de valorização desses ativos, a longo prazo, é ainda maior. Até o fim do ano, a expectativa é de que o bitcoin pode subir até alcançar US$ 100 mil.

Apesar de notícias favoráveis à valorização das criptomoedas, que deixam qualquer investidor com vontade de apostar em algo novo para aumentar os rendimentos, os especialistas reforçam: não tem ganho sem risco.

Por isso, é preciso entender a dinâmica de funcionamento da moeda digital e, mais do que isso, estar preparado para perder.

“Experimenta, acompanha, tenta entender a flutuação. Com isso, você vai aprender e se sentir mais seguro. O importante é conhecer o seu perfil, o que você pensa e tomar as decisões adequadas”, diz o professor de finanças do Insper Ricardo Humberto Rocha.

Postar um comentário

0 Comentários