1.648 pacientes realizaram pré-natal de alto risco no Hospital da Mulher

 

Métodos contraceptivos evitam o risco da gravidez indesejada

De janeiro a julho deste ano, o Hospital Inácia Pinto dos Santos, o Hospital da Mulher, realizou 1.648 consultas de pré-natal de alto risco. O acompanhamento a gestante, durante os nove meses até o nascimento da criança, aumenta as chances de identificação de patologias tanto maternas quanto do feto, além de reduzir complicações no parto.

O planejamento familiar contribui ainda para diminuir riscos de um parto prematuro. O coordenador de residência médica de Obstetrícia do Hospital da Mulher, Francisco Mota, orienta para os riscos de uma gravidez não planejada. “Ainda existe resistência de casais em evitar uma gravidez indesejada”, observa.

Segundo o especialista, o planejamento familiar possibilita que mulheres sejam orientadas a utilizarem métodos contraceptivos, além de prevenir doenças sexualmente transmissíveis e evitar, sobretudo, a gravidez na adolescência.

“O que difere nesse atendimento não é evitar que as mulheres não tenham filhos, mas programar para o momento certo”, afirma.

Gravidez entre adolescentes

Somente no primeiro semestre deste ano 595 meninas - na faixa etária entre 12 e 15 anos - receberam atendimento ambulatorial, e 670 adolescentes, com idade entre 15 e 19 anos, foram internadas.

Francisco Mota explica que no ambulatório do Hospital da Mulher é avaliado qual o contraceptivo mais indicado para cada uma das pacientes.

Na unidade hospitalar são disponibilizados o DIU de cobre (de efeito contraceptivo até 10 anos) e hormonal (até 5anos de proteção) e implante contraceptivo subdérmico com efeito protetor que dura até 3 anos, sob orientação médica.

Postar um comentário

0 Comentários