Vendas de casacos, sombrinhas e guarda-chuvas aquecem a economia feirense

 


O dias frios e chuvosos de inverno em Feira de Santana estão aquecendo a economia e movimentando o comércio. Os clientes têm procurado bastante casacos, jaquetas, roupas de frio, sombrinhas e guarda-chuvas.

A gerente da JR Confecções, Carla Cerqueira disse a reportagem do Acorda Cidade que muitos produtos já foram zerados do estoque e aguaram a reposição. Segundo ela, itens como a jaqueta de napa já foram esgotados e a expectativa é vender mais do que o ano passado.

Foto: Paulo José/Acorda Cidade

“Temos produtos deste a seção infantojuvenil e adulto com variação do P ao GG e tamanhos especiais do G1 ao G3. Temos promoções, qualidade, preço e muitas ofertas. O movimento em comparação ao ano passado já aumentou e esperamos vender muito”, disse.

O vendedor de guarda-chuvas e sombrinhas, conhecido como Gel Acessórios, declarou que o período chuvoso é sempre bom para a venda destes produtos e que o movimento está garantindo o sustento

De acordo com ele, os guarda-chuvas maiores são mais procurados e os preços variam. Há guarda-chuvas a partir de R$15 e sombrinhas a partir de R$13. O preço subiu um pouco em relação ao ano passado, devido ao aumento do dólar.

Foto: Paulo José/Acorda Cidade

“A mercadoria é importada da China e com o aumento do dólar, aumenta o valor. Ano passado, antes da pandemia era a partir de R$10 a sombrinha, e o guarda- chuva a partir de R$12. Quando há o aumento, infelizmente temos que repassá-lo ao cliente”, frisou.

O vendedor contou ainda que muitas pessoas que estão desempregadas estão buscando o sustento com o comércio informal. Ele recomendou ainda que quem puder, compre e venda os produtos no centro da cidade, porque há espaço para todos.

Foto: Paulo José/Acorda Cidade

“Aconselho que as pessoas que estão desempregadas comprem e venham para o centro da cidade vender. Não tenho medo de concorrência e dá para levar o pão de cada dia para casa”, comentou.

Apelidado de ‘Lojinha’, o vendedor Cleidson de Jesus, afirmou que usa a criatividade para divulgar os seus produtos e conquistar os clientes. Ele percorre o centro da cidade todos os dias carregando em média 25 sombrinhas e guarda-chuvas, chama a atenção pelo seu carisma e simpatia e comemora as vendas.

Foto: Paulo José/Acorda Cidade

“Minha loja é itinerante para não incomodar ninguém. As vendas estão boas e dão para equilibrar o salário. O movimento este ano está melhor do que o ano passado, o homem gosta mais do guarda-chuva e a mulher da sombrinha e eu faço a minha divulgação que é assim: ‘Olha a lojinha passando, a lojinha chegando, sombrinha e guarda-chuva. Atenção pessoal, vamos nessa, vamos nessa para não se molhar!’. Vou fazendo a divulgação de boca em boca e andando pela a cidade”, contou.

‘Lojinha’, também frisou que os produtos tiveram reajuste, mas como todo bom comerciante, sempre há descontos especiais para os clientes.

Fonte: Acorda Cidade

Postar um comentário

0 Comentários