Portaria orienta avaliação de estudantes no ensino não presencial

 


A forma de aprender e de avaliar a aprendizagem foi adaptada em decorrência da pandemia pela Covid-19. E para orientar os professores, coordenadores pedagógicos e  gestores, a Secretaria de Educação preparou um documento com todas as orientações sobre a organização do ensino não presencial. A portaria, de nº 010/2021, foi publicada no Diário Oficial Eletrônico do município, edição da última quarta-feira, 14.

Para mais esclarecimentos à comunidade escolar, a Secretaria de Educação reunirá as equipes de gestão das unidades de ensino nesta segunda-feira, 19, a partir das 9:00, em encontro virtual. As orientações serão dadas pela equipe pedagógica.

Com o ensino não presencial novos elementos são observados para avaliar o desenvolvimento pedagógico dos estudantes. Esta análise está sendo aplicada a partir da definição de objetivos de aprendizagem e de metodologias diferenciadas que priorizam a leitura, a pesquisa, o diálogo, o debate, o trabalho em equipe, o incentivo à interação virtual e não virtual e finalmente a produção textual - que pode ser oral, escrita e multimodal.

"O importante é reconhecer que a ênfase avaliativa nesse contexto do ensino não presencial deve estar voltada para a reinserção e acolhimento dos estudantes no universo escolar, por meio de um modelo avaliativo que promova aprendizagens conceituais e socioemocionais, amparadas no currículo essencial", pontua a secretária de Educação Anaci Paim.

De acordo com a portaria da Seduc, cada professor lançará no sistema as atividades não presenciais desenvolvidas nas suas respectivas turmas, assim como a carga horária correspondente, conforme orientação do Departamento de Ensino. As escolas são as responsáveis pela coordenação pedagógica juntamente com a gestão escolar no sentido de acompanhar essas atividades e o andamento delas.

Os estudantes são avaliados de forma individual, a fim de diagnosticar e acompanhar o desenvolvimento, além de identificar avanços e dificuldades durante o processo de aprendizagem. Fatores como as condições de acessibilidade tecnológica, utilização de ferramentas síncronas e assíncronas, a interação com colegas e professores e retorno das atividades impressas são levados em consideração durante o processo e também contabilizados como frequência.

ATIVIDADES PODEM SER ENTREGUES ATÉ 31 DE JULHO

"O método avaliativo segue sendo processual e contínuo, porém adaptado à vivência do ensino não presencial. Desde o primeiro dia de aula nossos estudantes estão sendo avaliados e todas as formas de interação entre o estudante e a escola são analisadas, das atividades impressas às produções nas redes sociais", orienta a professora Ivamara Bastos, chefe da Divisão de Ensino Fundamental.

As principais mudanças observadas na portaria são o registro ampliado de tempo pedagógico para realização das atividades não presenciais, que varia de escola para escola, considerando o contexto educacional e o planejamento de cada unidade escolar; as atividades avaliativas são organizadas em duas unidades letivas.

A resolução ainda garante que a escola realizará relatórios descritivos ao final do ano letivo a fim de dar devolutiva às famílias sobre o processo de desenvolvimento das crianças neste período.

Outro ponto em destaque é a possibilidade de apresentação das atividades até o próximo dia 31 de julho, quando o ano letivo de 2020 será finalizado. Um recurso acessível para os estudantes que, por motivos devidamente justificáveis, estejam em falta com alguma tarefa.


Postar um comentário

0 Comentários