Cresce abandono do tratamento no Caps AD

 

Visitas domiciliares reforçam os laços afetivos e são motivação para continuidade do tratamento

O abandono do tratamento de pessoas que fazem uso de substâncias psicoativas, incluindo álcool e cigarro, no Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas Dr. Gutemberg Almeida (Caps AD) tem crescido durante a pandemia. O índice de atendimentos aos pacientes matriculados caiu em 50%.

Apesar disso, o número de pessoas que buscaram ajuda para o primeiro atendimento duplicou. As informações são da enfermeira coordenadora do órgão, Mariana Rios.

Como estratégia para que esses pacientes continuem o tratamento, a equipe está realizando visita domiciliar sempre às quartas-feiras e contato telefônico frequente – a chamada busca ativa.  

Durante as visitas, a equipe leva informações e esclarece dúvidas sobre os serviços que estão sendo ofertados durante a pandemia, além de fortalecer o vínculo do paciente com o serviço.

“As atividades em grupos e oficinas terapêuticas estão suspensas. Estamos ansiosos para o retorno das atividades em grupo, mas realizando o atendimento terapêutico individual através do atendimento psiquiátrico e psicoterapia”, explica a coordenadora do Caps AD.

A busca ativa é realizada após a avaliação do prontuário do paciente, onde é verificado qual o tempo médio que ele deixou o serviço. Ao chegar na unidade, o paciente é acolhido por um profissional e encaminhado para o atendimento individual, que busca acolher a singularidade de cada indivíduo através da escuta qualificada.

“Nesse momento de pandemia elas não param de se comunicar com as famílias, são momentos carinhosos, visitas atenciosas e motivacionais”, afirma Joseilda de Lourdes Sousa, que tem um familiar atendido na unidade.



Postar um comentário

0 Comentários