Secretário refuta fraude em vacinação afirmando que houve equívoco

 

Nome da publicitária retirado do cadastro como vacinada

“Um equívoco na aplicação de uma dose não pode ser considerado como uma fraude num universo de cerca de 200 mil doses já aplicadas”. A afirmação é do secretário de Saúde de Feira de Santana, Marcelo Britto, em contraponto a uma denúncia apresentada pela publicitária Jéssica Almeida, segundo a qual ela foi impedida de se vacinar em Salvador porque já constava no sistema a vacinação dela em Feira.
 
No cadastro de vacinação constava que Jéssica Almeida havia recebido a primeira dose da vacina no dia 17 de março, na secretaria de Saúde de Feira de Santana, época em que, no local, ocorreu a aplicação em profissionais de saúde. A publicitária alegou que ocorrera “uma fraude na vacinação em Feira”, porque há quase dois anos ela não vem na cidade, onde residem os pais.
 
“No ato da aplicação, a pessoa a ser vacinada se identifica com o cartão do SUS ou com um documento que conste o número do CPF. No caso em questão, a identificação foi feita com o CPF e um equívoco na digitação terminou envolvendo o CPF da publicitária. É um caso isolado, um erro perfeitamente possível de acontecer. Mas nós já aplicamos cerca de 200 mil doses”, afirmou o secretário Marcelo Britto. 
A Secretaria Municipal de Saúde providenciou a retirada do nome de Jéssica como vacinada no cadastro, resolvendo o problema para que ela possa ser imunizada em Salvador, onde mora.
 
“Peço desculpas a Jéssica pelo transtorno, mas o importante é que ela não ficará sem vacina”, acrescentou o secretário de Saúde.   

Postar um comentário

0 Comentários