Acúmulo de lixo em residência é um risco para incêndio

 

Sesp já limpou 30 casas este ano

Somente neste ano, a Secretaria Municipal de Serviços Públicos (Sesp) já atuou em 30 casas onde eram acumulados lixo e materiais inservíveis. Além de trazer riscos à saúde, atraindo roedores e insetos, os objetos podem resultar em incêndios, como o ocorrido nesta segunda-feira, 17, em imóvel no bairro Capuchinhos.

 

Quem faz o alerta é o próprio órgão municipal, que já registrou três ocorrências neste ano atribuídas ao acúmulo de lixo em residências. O Núcleo de Assistência Social da Sesp atribui o comportamento à Síndrome de Diógenes, como são conhecidas as pessoas que têm obsessão por guardar objetos e dificuldade de descartá-los.

Segundo a assistente social, Joseane Sobral, os incêndios evidenciam o perigo em manter lixo dentro de casas. Daí a importância de alertar a comunidade em denunciar esse tipo de situação.

“As denúncias podem ser feitas por meio do número 156. A partir daí é feita a visita, e com diálogo convencemos a pessoa a se desfazer dos objetos guardados, como colchão velho, papelão, plásticos, vaso sanitário, sapatos e roupas”.

Após o prazo da notificação, os agentes retornam para constatar se o imóvel já foi limpo. Caso contrário, o serviço é executado pelo Departamento de Limpeza Pública. Além disso, o acumulador compulsivo é encaminhado para os serviços de saúde e de assistência social. 

“Nos casos de resistência contamos com o apoio da Guarda Municipal e também do Ministério Público”, acrescenta a assistente social.



Postar um comentário

0 Comentários