Suspeita de fraude eleitoral: 2º colocado nas eleições 2020 pede cassação do mandato do prefeito de São Gonçalo dos Campos

 


Após seis meses do resultado oficial das eleições de 2020 para prefeito, a cidade de São Gonçalo dos Campos corre o risco de enfrentar uma nova disputa eleitoral, em meio à segunda onda da Covid-19. Isso porque o segundo colocado nas urnas nas eleições passadas, Evanildo Oliveira Borges, mais conhecido como ‘Argolinha’, do partido Avante, entrou com uma ação na Justiça nesta segunda-feira (19) pedindo a cassação do atual gestor Tarcísio, do Solidariedade, por suposta compra de votos durante o pleito no município.

Tarcísio teve 54,24% dos votos, o equivalente a 12.169 votos válidos. Com esses números ele derrotou Argolinha, que obteve o segundo lugar com 44,03% nas urnas (9.878 votos).

Incomodado com o resultado e com o fato de que após as eleições muitas pessoas vieram até ele para confirmar o voto, Argolinha informou que buscou números e provas que embasassem suas suspeitas de que houve fraude eleitoral em São Gonçalo dos Campos.

“Nos primeiros dias, a gente achou estranho porque tinha muitas pesquisas com números bem vantajosos na frente do atual prefeito, que é Tarcísio, e de repente eu perco uma eleição com 10% dos votos. Acho estranho. Claro que eu aceito a derrota, a vontade do povo é soberana e vale muito, mas eu achei que não foi a vontade do povo. No outro dia eu andei na rua e as pessoas dizendo que votaram em mim. E como é que eu perdi a eleição? Desconfiei de fraude e fui procurar alguns números pra entender o que aconteceu”, afirmou Argolinha.

De acordo com ele, São Gonçalo possui atualmente 29 mil eleitores, sendo que 7.100 têm idade acima de 65 anos e 4.720 residem fora do município, mas possuem título lá.

“Então só aí dá 11.800 eleitores. Uma cidade com 29 mil eleitores, só ficaram pouco mais de 4 mil sem votar, em plena pandemia, na contramão do Brasil todo, cuja média nacional ficou em 30%. E São Gonçalo ficou em 14%. Em 2016, não existia pandemia, e ficaram 26% sem votar na eleição, com menos eleitores ainda, que antes eram cerca de 27 mil eleitores. Nessa, com 29 mil ficou esse número tão baixo em plena pandemia”, afirmou.

Áudios e fotos

O segundo colocado nas eleições reiterou que a ação de agora é para denunciar compra de votos, mas que outros processos virão. Ele denunciou também que o ex-prefeito da cidade Carlos Germano o procurou dizendo estar arrependido dos acordos feitos com o deputado estadual Targino Machado e com o prefeito Tarcísio.

“Ele me procurou e me trouxe provas. Procurei o advogado, levei essas provas, e ele disse que esse era um crime que tinha como anular a eleição. Estranhamente, o prefeito levou quatro meses para ser citado. Uma cidade tão pequena como São Gonçalo. Outros processos virão, mas agora essa primeira ação é pela cassação por compra de votos. Daquilo que a gente já tem robusto na mão, que são áudios e alguns documentos que foram feitas as fotos. Procurei vários advogados, todos eles especialistas, e todos disseram que a chance de ter uma nova eleição é de 90%”, declarou.

O que diz o prefeito Tarcísio

Ao Acorda Cidade o prefeito Tarcísio Pedreira informa que desconhece os fatos.

"Até porque, sequer tive acesso ao possível processo. Mas não me preocupo com uma acusação tão absurda. A nossa vitória foi fruto das mãos divinas que livraram a cidade da possibilidade de ser comanda por uma quadrilha, gente do mau", declarou.

Fonte: Acorda Cidade

Postar um comentário

0 Comentários