No dia de combate à meningite, Vigilância Epidemiológica lembra que casos estão controlados

 

Vacina está disponível nas unidades de saúde para bebês e adolescentes

Duas pessoas foram diagnosticadas com a meningite neste primeiro trimestre do ano em Feira de Santana. Se comparado ao mesmo período do ano anterior, o índice é apenas um pouco maior, com o registro de apenas um caso. Apesar disso, a Vigilância Epidemiológica considera que os casos estão controlados. Não houve morte pela doença no município neste período.

 

Neste sábado, 24, é comemorado o Dia Mundial de Combate à Meningite. A data destaca a importância da prevenção, diagnóstico, tratamento e melhoria das medidas de suporte àqueles que lidam com os efeitos da doença. 

A meningite geralmente é causada por uma infecção viral das membranas que envolvem o cérebro, mas  a doença também pode ter origem bacteriana ou fúngica. Dentre os sintomas mais comuns, estão dor de cabeça, febre e torcicolo. Dependendo da causa, a meningite pode melhorar com o tempo ou pode ser fatal, necessitando de tratamento antibiótico urgente. 

Ano passado foram 35 casos notificados, sendo sete confirmados. Este ano são sete notificações, com cinco casos descartados para a doença. 

A Secretaria de Saúde faz um alerta para a prevenção, que é feita com hábitos simples, como evitar tossir e espirrar diretamente nas mãos e realizar a higiene frequente delas. São medidas essenciais para evitar a transmissão. 

A vacina para a meningite é a meningocócica C, que é distribuída na rede de saúde municipal. Tem direito a vacina bebês de três a cinco meses, o reforço ocorre com um ano de idade. Na adolescência, a aplicação da vacina é realizada para a faixa etária dos 11 aos 14 anos. 

Para ter acesso à vacina, é preciso que um responsável leve o bebê ou adolescente a uma unidade de saúde mais próxima de casa, com o cartão SUS, documento de identidade com foto e a caderneta de vacinação.

Postar um comentário

0 Comentários