Estudantes em liberdade assistida serão preparados para o mercado de trabalho

 

Projeto Jovem Social teve aula inaugural dando início às atividades

Jovens de 14 a 18 anos, sob liberdade assistida, agora podem contar com cursos de capacitação gratuitos. O serviço faz parte do projeto Jovem Social, uma iniciativa do Ministério Público do Trabalho (MPT) em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedeso) de Feira de Santana, para prepará-los para o mercado de trabalho.

São 30 alunos, já selecionados, encaminhados pelos serviços socioassistenciais. Nesta segunda-feira (19) uma aula inaugural deu início às atividades na sede do Centro Comunitário Luz e Labor – também parceiro do projeto.

Os alunos podem participar de cursos profissionalizantes de informática, fibra óptica e entre outros, com duração de cinco meses. Neste período, vão contar com bolsa auxílio de R$400, além do benefício vale transporte, fardamento, mochila, materiais didáticos e lanche.

“O único pré-requisito é estar com a matrícula regular em uma unidade da rede pública de ensino”, afirma o secretário de Desenvolvimento Social, Antônio Carlos Borges Júnior. Ele destaca ainda que futuramente, conforme os resultados, pretende expandir a capacidade.

Devido a pandemia as aulas serão remotas, disponibilizadas através das plataformas digitais. Aqueles que tiverem dificuldades podem contar com suporte oferecido pelo Luz e Labor, que administra os cursos.

Segundo o procurador do MPT, Ilan Fonseca, o projeto utiliza recursos de condenações e multas impostas às empresas por trabalho infantil e outras ilegalidades.

“As bolsas são fundamentais para manter os jovens no projeto. Ele existe há quatro anos em Ilhéus e Itabuna, com bons resultados. Já passaram cerca de 300 alunos e a grande maioria estão atuando no mercado de trabalho como empregado ou empreendedor”, pontuou o procurador.

Outros órgãos como a Polícia Militar, através da Ronda Escolar, atuam no projeto.

Ouça aqui o podcast.



Postar um comentário

0 Comentários