Coordenador de Polícia questiona dados de pesquisa que coloca Feira de Santana como a 9° cidade mais violenta do mundo

 


Acorda Cidade - O Conselho Cidadão para a Segurança Pública e a Justiça Penal do México divulgaram um estudo, na última terça-feira (20), que aponta que o município de Feira de Santana está entre as 10 cidades mais violentas do mundo, ocupando a nona posição, em um ranking composto por 50 cidades.

Em entrevista ao Acorda Cidade, o coordenador de Polícia Civil de Feira de Santana, delegado Roberto Leal, informou que a metodologia da pesquisa divulgada não é conhecida e que também não entende os dados comparativos apresentados.

"Nós não conhecemos a metodologia de pesquisa deste Instituto, mesmo que já venha relatando há alguns anos, mas temos a ciência que não é um estudo abrangente e por isso não emitimos nenhum tipo de parecer. Não entendemos essas técnicas aplicadas e também não entendemos os dados comparativos que são apresentados", disse.

De acordo com o delegado, os dados comparativos colhidos em todo o mundo podem não apresentar a veracidade da realidade que alguns países estão passando.

"Essas análises que eles utilizam para fazer as comparações, não conhecemos, e nem sabemos se são verídicas, porque como eles acabam coletando dados de todo o mundo, de uma parte desse universo. A gente sabe que não são fidedignos com a realidade desses países. Nós sabemos que tem locais aí com guerras civis, principalmente em conflitos com outros países, e os índices são extremamente alarmantes. Não sabemos qual a forma que eles coletam esses dados, não sabemos a credibilidade dessa pesquisa e por isso que não concordamos com esse ranking, apontando Feira de Santana entre as principais cidades mais violentas do mundo", afirmou.

Segundo o Coordenador, todos os dados de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) que acontecem no município de Feira de Santana são divulgados tanto pela Polícia, quanto pela própria imprensa. Para o delegado, os dados fornecidos no estudo não condizem com a realidade do município.

"Os números de homicídios aqui na região são de conhecimento de toda população. A própria Secretaria de Segurança divulga; a imprensa também faz esse trabalho ao lado da Polícia e não compreendemos essa classificação da nossa cidade. Será que esses dados apresentam veracidade? A gente sabe que o próprio México, às vezes, tem alguma chacina com 100 a 200 pessoas assassinadas. Então a gente percebe que esses dados não refletem a realidade do que foi colhido", relatou.

Em Feira de Santana, cerca de 70% dos crimes cometidos no ano de 2020 já foram elucidados. Segundo o delegado Roberto Leal, é um número bastante alto, mas ainda há muitos crimes sem elucidação no município.

"De acordo com as informações prestadas pela DH [Delegacia de Homicídios], em torno de 70% dos crimes já foram elucidados. É um índice extremamente alto, mas ainda é preciso trabalhar bastante porque se a gente for contar o universo de homicídios sem elucidação, é um índice também elevado. A partir dos 30%, já é considerado um índice bom, mas quando estamos beirando aí na faixa de 70% das elucidações, é sinal de que realmente o trabalho está sendo feito com afinco e dedicação", concluiu.

Postar um comentário

0 Comentários