Atendimentos no Centro de Referência à Mulher aumentam na pandemia

 

Este índice pode ser associado ao aumento da violência contra a mulher

A procura por atendimentos no Centro de Referência Maria Quitéria (CRMQ) aumentou em 40% durante a pandemia. Este índice pode estar associado ao aumento da violência contra a mulher. A informação é da secretária de Políticas Para as Mulheres, Gerusa Sampaio.

Segundo a secretária, as principais queixas apresentadas por elas se referem a violência física, psicológica e patrimonial, principalmente depois que o Governo Federal liberou o auxílio emergencial para as famílias, em que as mulheres são titulares do benefício.

“Teve maridos que retornaram ao lar, apenas para usufruir do benefício. Quando não conseguem, eles usam a força física e pressionam de diversas formas”, pontuou.

A confiança e credibilidade do órgão também são fatores a considerar. “São mulheres que atendem mulheres, e a empatia é o nosso diferencial. A mulher que denuncia merece respeito e acolhimento de qualidade”, destaca Gerusa Sampaio.

Secretaria da Mulher

Implantada recentemente, a Secretaria Extraordinária de Políticas Para as Mulheres já vem desempenhando ações e está estruturando a nova sede.

Ouça aqui o podcast.



Postar um comentário

0 Comentários