Sem comunicar o público, Trump e Melania foram vacinados na Casa Branca

 Donald Trump e Melania Trump Donald Trump e Melania Trump na Casa Branca. Foto: Reprodução/CNN (27.ago.2020)


CNN Brasil - O ex-presidente Donald Trump e a ex-primeira-dama Melania Trump receberam a vacina contra a Covid-19 na Casa Branca, em janeiro, disse um assessor de Trump à CNN na segunda-feira (1º). Não ficou claro qual vacina ou quantas doses cada um recebeu.

A revelação ocorre depois que o ex-presidente pediu aos seus seguidores para se vacinarem contra o vírus, durante um discurso na Conferência de Ação Política Conservadora (CPAC, na sigla em inglês) em Orlando, na Flórida, no domingo, dizendo ao público: “E como essa vacina é indolor, então vão todos buscar a sua dose”. Esse incentivo marcou uma mudança notável, já que Trump, enquanto presidente, descartava a gravidade do vírus e evitava o distanciamento social e uso de máscara.

Em meados de dezembro, a CNN reportou que um funcionário da Casa Branca disse que Trump não receberia a vacina contra o coronavírus até que fosse ela recomendada pela equipe médica da Casa Branca.

À época, o funcionário disse que Trump ainda estava sendo beneficiado pelo coquetel de anticorpos monoclonais que recebeu para sua recuperação da Covid-19, no início do outubro, quando ele e a então primeira-dama testaram positivo para o vírus.

A decisão de Trump de receber a vacina em silêncio, sem alarde público, contrasta fortemente com seu sucessor e predecessores. A vacinação do presidente Joe Biden e da vice-presidente Kamala Harris foi transmitida ao vivo pela televisão, em dezembro. No mesmo mês, os ex-presidentes Barack Obama, George W. Bush e Bill Clinton se voluntariaram para ser vacinados contra Covid-19 em frente às câmeras para motivar a confiança do público na segurança da vacina.

O ex-presidente Jimmy Carter também foi imunizado contra o vírus.

Durante o seu discurso na conferência, Trump, que monitorou o rápido desenvolvimento das vacinas contra o coronavírus por meio da força-tarefa Operação Warp Speed, disse que seu governo merece crédito pelo ritmo atual da vacinação na América e se referiu repetidamente à Covid-19 usando um termo racista. “Nunca os deixe esquecer que isso foi graças a nós. Nós fizemos isso”, disse ele sobre o desenvolvimento das vacinas.

Um assessor disse à CNN na segunda-feira que a equipe de redatores de quando Trump era presidente voltou ao trabalho para ajudá-lo a redigir seu discurso para a conferência que aconteceu no domingo. Entre esses redatores está o ex-conselheiro de política interna de Trump, Stephen Miller.

Os comentários do ex-presidente sobre o desenvolvimento da vacina vão na direção oposta de uma reportagem da CNN, em janeiro, na qual dizia que Biden e seus conselheiros não herdavam nenhum plano de distribuição da vacina contra o coronavírus da administração de Trump.

Nas horas seguintes à posse de Biden, fontes com conhecimento direto do trabalho do novo governo relacionado à Covid-19 disseram para a CNN que um dos maiores choques que equipe de Biden teve de digerir durante o período de transição foi o que consideraram uma completa falta de estratégia de Trump para a distribuição das doses, mesmo semanas depois que várias vacinas haviam sido aprovadas para uso nos Estados Unidos.

Contribuíram para essa reportagem da CNN: Maeve Reston, MJ Lee e Paul LeBlanc.

Texto traduzido. Leia o original em inglês.

Postar um comentário

0 Comentários