Na linha de frente contra a pandemia, Guarda Municipal completa 128 anos

 

Instituição é uma das mais antigas do país

A Guarda Municipal de Feira de Santana, uma das mais antigas do país, completa amanhã, 25 de março, 128 anos de existência, num dos momentos mais críticos enfrentados pelo mundo. Por causa da pandemia, a instituição, que tem como principal atribuição resguardar os equipamentos públicos do município, está agora cumprindo uma nova e nobre missão: ajudar no combate à propagação do coronavírus, acompanhando as operações realizadas pela Prefeitura e pela Polícia Militar para dissolver as aglomerações em dias e horários proibidos pelos decretos municipais e estaduais.

“É lamentável esse drama pelo qual estamos passando, mas nos sentimos honrados em estar na linha de frente, contribuindo nesse combate à pandemia”, diz Cássia Dias de Jesus Santos, a primeira mulher a comandar a corporação, composta por 133 homens e 58 mulheres.

“Estamos ajudando a dispersar pessoas aglomeradas em bares, festinhas e principalmente nos babas. Apesar de muitos insistirem em desobedecer, as pessoas acabam aceitando a nossa orientação, por que agimos sempre com educação e gentileza, o que nos faz ser respeitados”, enfatiza Cássia.

A comandante ressalva que, apesar do momento dramático vivido por todos os feirenses, a Guarda Municipal tem motivos para comemorar a data: “A nossa corporação obteve muitas conquistas nesses últimos três anos, como a criação do nosso Centro de Formação de Guardas Municipais, com stand de tiros, a instalação de nossa sede própria, com uma Central de Comunicação Integrada, que nos coloca em contato direto e permanente com a comunidade, e a aquisição de duas viaturas e várias armas fornecidas pela Polícia Rodoviária Federal, o que dá mais segurança aos nossos guardas em determinadas operações”.

ORGULHO

O Centro de Formação de Guardas Municipais, citado por Cássia Dias, tem como objetivo aprimorar os conhecimentos dos novos guardas aprovados em concurso público. A primeira turma, formada por 44 pessoas, obteve o diploma este mês. No Centro de Formação eles passam por aulas e instruções e assistem a palestras sobre Direito Penal e Constitucional, técnicas de abordagem, proteção a autoridades, primeiros-socorros e utilização de armas, em stand de tiros.

Os professores e instrutores são do Exército, da Polícia Federal, da Polícia Rodoviária Federal, da Polícia Civil, do Corpo de Bombeiros, da Polícia Militar, do SAMU – Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, e do Centro de Referência Maria Quitéria, que integra a Rede de Proteção à Mulher em Feira de Santana. Além da própria Guarda Municipal.

“Este conhecimento é necessário, para que possamos, por exemplo, auxiliar a Polícia Militar nas operações da Ronda Maria da Penha e da Ronda Escolar, e também os médicos e enfermeiros do SAMU, nas situações em que os profissionais de saúde necessitem de um aparato de segurança”, explica Michelle Tainan Dias, de 33 anos, uma das guardas diplomadas recentemente pelo Centro de Formação.

Trabalhando na sede da corporação, no setor administrativo, casada e com uma filha de 11 anos, Michelle diz que se sente honrada em ter se tornado uma guarda-municipal. “Tenho muito orgulho desta minha nova profissão”, afirma.



Postar um comentário

0 Comentários