Do vendedor ao passageiro, todos seguem as medidas de segurança

 

Demarcações sinalizam o distanciamento entre os usuários

Há seis anos, vendendo doces e refrigerantes no Terminal Central, Edna Santana teve que se adequar às medidas de controle do coronavírus. Se a higiene era algo que ela não abria mão, agora redobrou os cuidados.

Fazendo uso de máscara, a vendedora sabe a importância que esse item tem para a prevenção contra a Covid-19. “Não retiro pra nada”, diz.

O álcool em gel também é usado por ela antes de manusear os alimentos e fica à disposição da freguesia. Quem chega até à banca de Edna vê de cara um frasco do produto. Demais vendedores fazem uso das medidas de controle para a transmissão do vírus.

Higienização e desinfecção

Vale lembrar que o Terminal Central – bem como o Norte e o Sul - está preparado para receber os passageiros. Os assentos estão com marcações que sinalizam o distanciamento; aqueles com um “X” indicam a proibição para sentar.

No chão, nas plataformas de embarque e desembarque, foram colocados círculos que indicam o distanciamento entre os usuários na fila enquanto aguardam os ônibus.

O entreposto também passa por higienização e desinfecção diária, assim comos ônibus do Sistema Integrado de Transporte (SIT) e do BRT (Bus Rapid Transit).

A obrigatoriedade do uso de máscaras, tanto para operadores (motoristas e cobradores) quanto passageiros embarcados, tem sido fiscalizada pela Secretaria Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT).



Postar um comentário

0 Comentários