Feirenses podem pagar até R$ 82 no preço do gás de cozinha com novo reajuste

 


Começou a valer desde a última terça-feira (9) o novo aumento do preço do gás de cozinha em todo o Brasil. Este é o segundo reajuste no ano de 2021, com 5,1% no preço do GPL. Na semana passada, as distribuidoras em Feira de Santana já iniciaram os novos repasses para os clientes.

00:06/00:59

De acordo com o funcionário Antônio Marcos de Oliveira, de uma revendedora localizada no bairro Jomafa, o novo preço do gás de cozinha pode custar R$ 68 para retirada na própria distribuidora ou R$ 72 com a entrega.

Foto: Ed Santos/ Acorda Cidade

"O valor antigo estava custando R$ 64 aqui na portaria e para fazer entrega R$ 68, mas com esse novo reajuste, é provável que aumente para R$ 68 aqui na portaria e R$ 72 para entrega. Como a Petrobras passou esse aumento para as refinarias, elas nos passaram e agora temos que passar para os clientes", disse ao Acorda Cidade.

Foto: Ed Santos/ Acorda Cidade

Segundo Antônio Marcos, o movimento ainda é considerado normal na busca pelo gás de cozinha.

Já na revendedora da Brasilgás, no bairro da Gabriela, também em Feira de Santana, o consumidor terá que desembolsar R$ 82 pelo botijão de gás. De acordo com o distribuidor Silvio Antônio de Lima, os reajustes feitos neste ano são equivalentes ao aumento de R$ 4 no preço do gás.

Foto: Paulo José/ Acorda Cidade

"O primeiro reajuste foi de 5,1%, o que representou R$ 2 para nós que somos revendedores, e para o consumidor, temos que passar o mesmo valor. No dia 9 de fevereiro, teve o segundo reajuste com esse mesmo percentual, também equivalente a R$ 2. Então o gás está custando para o consumidor R$ 80 e ainda estamos estudando se vamos ou não repassar esses novos valores ou conseguimos segurar por mais alguns dias, mas é bem provável que a gente repasse porque estamos absorvendo esses novos reajustes há um tempo e nunca repassando para os clientes o valor exato, então vai chegar a hora que não vamos poder segurar o preço velho", explicou ao Acorda Cidade.

Hoje com o valor de R$ 80 do preço do botijão de gás, Silvio Antônio explicou que o consumidor tem a opção de fazer a retirada na própria distribuidora, pagando um preço menor.

"O valor que estávamos cobrando era de R$ 78, agora está sendo repassado por R$ 80 e provavelmente vai subir para R$ 82. Muitos preferem vir fazer a retirada aqui na distribuidora porque o valor está saindo a R$ 73, são R$ 7 de diferença que já dá para comprar alguma coisa, principalmente aquelas famílias mais vulneráveis. O preço de R$ 80 é devido à taxa que é aplicada com relação a ter um funcionário para entregar, manutenção de moto e combustível", afirmou Silvio.

Para o distribuidor, o aumento do gás está vinculado com o preço do combustível e afirmou que se todos os reajustes fossem passados para os clientes, hoje o preço do botijão de gás estaria custando cerca de R$ 100.

"A Petrobras alega que o gás é vinculado aos preços internacionais, então sempre que o dólar tem alta, tem o aumento do preço do combustível, então sempre que o combustível aumenta, o gás sofre reajuste. A margem de lucro que temos dá para sustentar a empresa, tanto que a maioria das revendedoras não está repassando esses aumentos e por isso muitas estão fechando as portas por causa da dificuldade financeira. Se nós tivéssemos que passar todos esses aumentos, com toda certeza hoje o preço do gás estava custando R$ 90, R$ 100, não só da marca da Brasilgás, como as outras também. Eu que estou nesse ramo há seis anos sei bem. A média de botijões que vendemos por dia é de 120, mas com todos esses aumentos, a tendência é cair esse número", finalizou.

Fonte: Acorda Cidade

Postar um comentário

0 Comentários