Exame reduz chances de AVC em pacientes falcêmicos

 

Doppler Transcraniano avalia velocidade do fluxo sanguíneo

O Acidente Vascular Cerebral (AVC) acomete entre 8 a 10% das pessoas com doença falciforme. Através do Doppler Transcraniano é possível avaliar a velocidade do fluxo sanguíneo nas principais artérias cerebrais, e reduzir de 40 para 10% as chances desses pacientes desenvolverem a doença neurológica.

Em Feira de Santana, crianças com doença falciforme, entre 2 a 16 anos, podem realizar o exame de imagem gratuitamente pela Prefeitura, através do Programa Municipal de Apoio à Pessoa com Doença Falciforme.

Quando identificada alguma alteração, o exame, que é realizado anualmente, passa a ser feito em períodos mais curtos. "Podemos fazer também uma transfusão crônica de hemácias, que reduz a chance de desenvolver a doença”, explica o médico ultrassonografista, Roberto Margotti.

Anemia falciforme é uma doença hereditária (passa dos pais para os filhos) caracterizada pela alteração dos glóbulos vermelhos do sangue, tornando-os parecidos com uma foice, daí o nome falciforme. Essas células têm sua membrana alterada e rompem-se mais facilmente, causando anemia. A hemoglobina, que transporta o oxigênio e dá a cor aos glóbulos vermelhos, é essencial para a saúde de todos os órgãos do corpo.

Entre os sintomas, dores pelo corpo, úlceras de difícil cicatrização, insuficiência renal aguda, alteração no baço e pode levar a um Acidente Vascular Cerebral (AVC). Em crianças pode haver edemas nas mãos e pés.

O diagnóstico pode ser obtido nos primeiros meses de vida através do teste do pezinho, ou exame laboratorial (eletroforese da hemoglobina).



Postar um comentário

0 Comentários