Projeto Novo Centro deve ser concluído em abril, diz secretário de planejamento

 


Após nove meses de obras, o Projeto Novo Centro de Feira de Santana deve ser concluído no mês de abril. De acordo com o secretário de planejamento, Carlos Brito, durante todo esse processo, o trabalho foi intensificado na drenagem, pavimentação das ruas e a troca de passeios com pisos intertravados.

"Esse projeto foi concebido pelo prefeito Colbert Martins para requalificar o centro da cidade. Após a retirada do comércio informal sendo direcionado para o Shopping Popular, foi pensado em duas etapas. A primeira vem da Rua Castro Alves até a Avenida Parque José Anchieta, seguindo pela Carlos Valadares de um lado e Presidente Dutra do outro, então tivemos nessa primeira etapa o trabalho de drenagem, pavimentação das ruas, troca de passeios com pisos intertravados e recapeamento do asfalto. Já na segunda etapa, são as ruas dentro dessa poligonal que ficaram de fora, como a Conselheiro Franco, Praça da Matriz, Praça Dois de Julho, Fróes da Mota com a troca de piso e urbanização nestas praças. É um projeto que busca melhorar a qualidade de vida do cidadão, devolvendo ao povo de Feira de Santana o seu direito de ir e vir nas principais ruas da cidade", destacou o secretário.

Iniciado no mês de abril de 2020, a previsão é que as obras também sejam finalizadas em abril de 2021. Segundo o secretário, as obras de drenagem já estão na fase final.

"Esse projeto foi iniciado no mês de abril do ano passado e vai ser concluído agora em abril, essa é a previsão que temos da conclusão. A parte da drenagem está praticamente pronta e estamos fazendo as interligações, mas esperamos que toda conclusão seja feita em abril, como está previsto no contrato", disse ao Acorda Cidade.

De acordo com Carlos Brito, a obra do projeto Novo Centro foi bem delicada devido às interferências que foram encontradas durante todo o processo.

"Essa é uma obra bem delicada, porque tivemos muitas interferências telefônicas, tivemos que fazer canaletas do serviço, a parte da Coelba também e inclusive estamos discutindo com a fornecedora de energia para colocar a fiação subterrânea, mas tudo isso é um processo muito difícil. Chegamos aqui no cruzamento da Castro Alves com a Sampaio, quando iríamos interligar a drenagem, tinha algumas interferências da Embasa, algumas tubulações estavam comprometidas, entupidas e que por algum equívoco construtivo tampou a entrada do poço de visita e a manutenção não foi feita. Às vezes, a equipe vai abrir uma vala, tem uma tubulação que não estamos sabendo, não estava cadastrado, então tudo isso dificulta, mas graças a Deus, a obra está andando muito bem", finalizou.

Fonte: Acorda Cidade

Postar um comentário

0 Comentários