Fla x Flu: no 1ª clássico do ano, times miram objetivos distintos, e, o Santos pela semifinal da Libertadores contra o Boca Juniors

 

Duelo no Maracanã, às 21h30, terá transmissão da Rádio Nacional

O Maracanã recebe na noite desta quarta-feira (6) o primeiro Clássico das Multidões de 2021: Flamengo e Fluminense se enfrentam a partir das 21h30 (horário de Brasília), em duelo válido pela 28ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro. O embate terá transmissão ao vivo da Rádio Nacional, com narração de André Luiz Mendes, comentários de Mario Silva e plantão de Bruno Mendes.
 

Do lado rubro-negro, o jogo serve para manter vivo o sonho do bicampeonato nacional. Terceiro colocado na classificação geral, o Flamengo soma 49 pontos, mesmo total do vice-líder Atlético Mineiro, mas o Galo está a frente do time carioca pelos critérios de desempate do regulamento. O líder é o São Paulo, com 56 pontos.

Para conquistar os três pontos e seguir na perseguição ao tricolor paulista, o técnico Rogério Ceni terá praticamente a força máxima. O atacante Gabriel Barbosa e o lateral-esquerdo Filipe Luís, que ficaram de fora do último jogo cumprindo suspensão, já devem começar esta noite como titulares. O único desfalque será o goleiro Diego Alves, com uma lesão na coxa. O provável time do Flamengo que entra em campo deverá contar com Hugo, Isla, Rodrigo Caio, Natan e Filipe Luís; Willian Arão, Gérson, Everton Ribeiro e Arrascaeta; Bruno Henrique e Gabriel Barbosa.

O Tricolor carioca, com 40 pontos, ocupa sétima posição, e precisa vencer se quiser voltar ao G-6, grupo de times que disputarão a próxima Copa Libertadores da América. A equipe ainda busca a primeira vitória sob o comando do técnico Marcão, que assumiu o comando técnico na 25ª rodada, depois da ida de Odair Hellmann para o futebol do Oriente Médio.  No entanto, ontem (5) o treinador testou positivo para covid-19 e quem vai estar à beira do gramado nesta noite será o auxiliar Ailton.

Em relação à escalação, é provável que o Fluminense tenha várias mudanças. Nenê e Marcos Paulo podem perder espaço entre os titulares; Nino cumpre suspensão;  e Luccas Claro e Hudson voltam a ficar à disposição. Um possível Fluminense para o clássico mais charmoso do país poderá ter Marcos Felipe, Calegari, Luccas Claro, Matheus Ferraz e Danilo Barcelos; Yuri Lima, Hudson e Yago Felipe; Michel Araújo, Welligton Silva e Fred.

No histórico recente do clássico, não ocorre um 0 a 0 há sete partidas. Nesse período, são cinco vitórias do Flamengo, um empate e apenas uma vitória do Fluminense, no Estadual de 2020. O Rubro-Negro marcou 11 gols e sofreu seis. Em jogos valendo apenas pelo Campeonato Brasileiro, a última vitória do Fluminense ocorreu em 2016.

        

         Na Argentina, Santos e                     Boca Juniors abrem                     semifinal da Libertadores


Equipes já se enfrentaram em 2 finais; uma vitória de cada lado

O mítico estádio da Bombonera, em Buenos Aires, recebe na noite desta quarta-feira (6), a partir das 19h15, a partida de ida da semifinal da Copa Libertadores entre Boca Juniors e Santos.

 A equipe brasileira comandada pelo técnico Cuca chegou até aqui depois de passar pelo Grêmio nas quartas de final, com um empate em 1 a 1 em Porto Alegre e uma goleada por 4 a 1 em Santos. Nas oitavas, o time venceu a LDU por 2 a 1 no Equador e perdeu no Brasil por 1 a 0. Para o jogo desta noite, o grupo está todo à disposição. O volante Jobson  recuperou-se de uma inflamação no tornozelo e os laterais Pará e Madson  curaram-se de lesões na coxa. O time provável  para o jogo terá John Victor, Pará, Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison, Sandry e Diego Pituca; Marinho, Soteldo e Kaio Jorge, artilheiro do Peixe no torneio com cinco gols.


Os argentinos passaram pelo Inter nas oitavas ao vencerem no Beira-Rio por 1 a 0, perderem pelo mesmo placar na Bombonera e avançarem nos pênaltis. Nas quartas, o time passou pelo Racing ao perder fora por 1 a 0 e reverter em casa com o placar 2 a 0. O técnico Miguel Ángel Russo, campeão da América com o clube em 2007, terá um desfalque. O volante Jorman Campuzano, lesionado. O time de logo mais deve ter Andrada, Jara, Lisandro López, Izquierdoz e Fabra; Diego González, Capaldo, Villa e Salvio, artilheiro  com seis gols na Libertadores; Soldano e Tévez.

O duelo de volta na Vila Belmiro está previsto para a próxima quarta-feira (13). Na Libertadores o gol como visitante continua valendo como critério de desempate.

Duelo cheio de história

O Santos é um dos times brasileiros com mais tradição na Copa Libertadores da América. Ao lado de São Paulo e Grêmio, é tricampeão do torneio. Os títulos foram conquistados nos anos de 1962, 1963 e 2011. Além das conquistas, o Peixe tem um vice-campeonato obtido em 2003. Já o Boca Juniors tem seis taças da principal competição da América, é o segundo time com mais conquistas. Está atrás apenas do Independiente, que tem sete. Além dos títulos, os Xeneizes, como os torcedores do Boca são conhecidos, têm cinco vice-campeonatos.  
A história desses dois gigantes do continente se cruzaram em dois momentos. Ambos foram em finais. O Santos, com Pelé e companhia, faturou o bicampeonato em 1963 em cima dos argentinos. Foram duas vitórias dos brasileiros. No Maracanã, 3 a 2. Na Bombonera, 2 a 1.

Já o Boca Juniors conquistou o troféu em 2003 superando o Peixe na decisão. Assim como ocorreu na década de 1960, a definição veio com duas vitórias. Na Argentina, 2 a 0. No Brasil, 3 a 1. 

Em relação aos confrontos contra todas equipes brasileiras, o Boca Juniors costuma ser uma pedra no sapato. O time conseguiu 17 classificações em 20 duelos de mata-matas. Enquanto isso, o Santos avançou em dois dos seus cinco confrontos de mata-mata contra os vizinhos.

Fonte: Agência Brasil

Postar um comentário

0 Comentários