Dia da saudade: feirenses relembram momentos vividos na infância

 


Saudade é uma palavra de origem latina utilizada para definir sentimento de falta de algumas pessoas, objetos, lugares ou acontecimentos vividos. Neste sábado (30), comemora-se o dia da saudade, a fim de dedicar as lembranças de pessoas que já não estão mais em nosso meio, seja por uma mudança ou por falecimento, com também a falta de festas em família e com amigos em virtude da pandemia.

O Acorda Cidade colheu depoimentos da população feirense, sobretudo dos que sentem mais falta nesse período de distanciamento social.

Foto: Ney Silva/ Acorda Cidade

Para a neuropsicopedagoga Marta Santos, as maiores saudades são da mãe e da avó, que a inspiraram a manter uma Associação Comunitária.

"Eu sinto muita saudade do meu tempo de infância, onde eu brincava livremente, brincadeiras leves com colegas, primos, não tínhamos a preocupação de hoje, nada voltado à tecnologia, celular, e brincava mesmo na rua. Hoje sinto muita falta da minha mãe, que me deixou, e lembro que ela dizia que a educação transformava vidas, ela que fez de tudo para que todos os filhos estudassem e hoje sei que esse legado é a realidade da vida. Além da minha mãe, a minha avó Luísa Araújo do Carmo, que há mais de 60 anos fazia um trabalho na Comunidade Olhos D'Água, um trabalho muito bonito e esse trabalho social foi passado para os filhos, netos e hoje consigo levar este projeto dela, pelo amor e pela saudade dos ensinamentos que ela nos deixou", relatou.

Foto: Ney Silva/ Acorda Cidade

Para a enfermeira Roseli Dias, a saudade também é motivada pela falta da avó, com quem teve uma grande convivência.

"Essa palavra saudade representa para mim um sentimento muito forte porque me recordo bastante da minha infância, os períodos de festividade em família e em especial da minha mãe e da minha avó. Ela que ajudou minha mãe a me criar e a partida dela traz muitas saudades e muitas lembranças. Pode até ser um sentimento dolorido, mas ao mesmo tempo um sentimento que nos afaga, pois nos traz recordações de quem amamos e que deixou marcas, deixou histórias e nesse dia da saudade, me recordo muito bem da minha avó e espero em Deus que em algum momento em outras vidas, possa encontrá-la", disse a enfermeira.

Foto: Ney Silva/ Acorda Cidade

Conhecido como "Besouro", o aposentado Ailton Conceição explicou em reportagem ao Acorda Cidade que a maior saudade nesse momento é da mãe, de quem herdou um grande exemplo de vida.

"Eu sou uma pessoa que sempre me dediquei a ela, e hoje no meu coração a saudade é dela. Ela, que me deixou aos 101 anos de idade, me deu muitos ensinamentos. Lembro que na infância quando a gente era traquino ela chamava a atenção e dizia, 'meu filho, você tem que ser honesto e direito' e são recordações e ensinamentos que todos os filhos tiveram e por isso eu agradeço muito por essa criação", destacou.

Foto: Ney Silva/ Acorda Cidade

Sentindo falta dos carinhos e cuidados, a enfermeira Thyara Nunes explicou que perdeu a avó ainda na infância, mas nas recordações que ainda possui, a definição de amor estava naquela que lhe deu amor durante toda a vida.

"Minha avó faleceu quando eu ainda era criança, uma pessoa maravilhosa, definição de amor para mim. Hoje a maior saudade que eu sinto são dos cuidados e dos carinhos que ela me proporcionava. Eu gosto de associar saudade a lembranças e momentos maravilhosos que vivemos e que acabaram se tornando inesquecíveis. Sempre que estamos em família, ouço as histórias relacionadas a ela e sinto uma grande alegria por ter tido a oportunidade de poder conviver com alguém tão especial. Saudade para mim é tudo que fica de alguém e não poder ficar, as lembranças são de todos os momentos que vivemos e acabam nos confortando com a saudade que sinto dela", finalizou.


Fonte: Acorda Cidade

Postar um comentário

0 Comentários