Ônibus do BRT chegam a Feira de Santana e Prefeitura inicia operação assistida nesta quarta

 


Na manhã de hoje, 13, foram apresentados os três primeiros dos sete novos ônibus que passam a operar nesta fase experimental assistida de implantação do sistema BRT (Bus Rapid Transit) da Prefeitura de Feira de Santana, assim como ocorreu no lançamento do metrô na capital baiana.

Cerca de 70% dos usuários que utilizam o transporte público na cidade serão beneficiados com mais conforto, segurança e agilidade no percurso ao se deslocarem no Centro pelas avenidas Getúlio Vargas (Linha BRT 1) e João Durval (Linha BRT 2).

Segundo informações da Secretaria Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT), a facilidade de embarque e desembarque do passageiro no mesmo nível nas estações elevadas através de portas laterais posicionadas do lado esquerdo dos veículos - no sentido de parada nas estações - reduzirão o tempo de frequência entre um ônibus e outro para apenas 10 minutos.

Parte da frota dos ônibus de BRT, operados pelas concessionárias Rosa e São João, está equipados com ar condicionado, portas USB laterais nos assentos, bilhetagem eletrônica, sistema de monitoramento em tempo real por GPS e plataformas elevatórias com total acessibilidade para usuários com dificuldade ou nenhuma mobilidade.

Cada veículo, do tipo Padron - com 15 metros de comprimento - possui capacidade para transportar até 115 passageiros, modelo ideal utilizado em sistemas BRT que operam com demanda reduzida; neste caso, realidade em Feira de Santana após a pandemia da Covid-19 ter provocado queda significativa do número de passageiros transportados diariamente.

“A Prefeitura está equacionando a melhor oferta da quantidade de ônibus de BRT ao fluxo real de passageiros”, explica o secretário Saulo Figueiredo.

Ainda, nesta fase inicial assistida, mais um ônibus de BRT do tipo articulado complementará a frota operacional no município.

Início da operação

A partir desta quarta-feira, 14, os ônibus passam atender a comunidade gratuitamente durante 30 dias, das 6h às 21h, nas dez estações que passam a funcionar nesta fase experimental assistida por 90 dias.

O trecho entre o Terminal Central e o final da Avenida Getúlio Vargas é composto por 6 estações, e mais 4 estão posicionadas ao longo da Avenida João Durval entre o Ponto Central e o limite do Anel de Contorno, com os ônibus da Linha BRT 2 retornando sob o viaduto que liga à Avenida Ayrton Senna.

Os usuários também tem a opção de pegarem os ônibus de BRT no Terminal Central acessando a plataforma A5.

Fase experimental

Esta fase experimental assistida servirá para a Prefeitura, seguindo recomendações técnicas, analisarem dados de desempenho operacional, a exemplo de tempo de viagem, customização da infraestrutura, viabilidade da tecnologia mais adequada ao sistema de cada linha do BRT e, principalmente, a prestação de serviço aos usuários.

Gradativamente, a quantidade de ônibus do novo sistema de transporte público será ampliada visando uma maior integração da mobilidade urbana da cidade.

Operadores do sistema BRT (motoristas e fiscais de transportes) seguirão em processo de treinamento. Monitores da SMTT estarão orientando os usuários durante o embarque e desembarque de passageiros para otimizar o pleno funcionamento do novo BRT.

Postar um comentário

0 Comentários