Casos de Covid-19 reduzem 60 por centro em três meses

 


O número de casos de Covid-19 em Feira de Santana reduziu em 60% entre julho e setembro. No mês considerado como pico da doença no município a quantidade de casos registrados chegou a 3.204. Em agosto reduziu para 1924, e no mês de setembro caiu ainda mais, fechando com 1.254 casos. No mesmo período a quantidade de mortes decorrentes do coronavírus reduziu em proporção parecida: 57%. Foram 86 óbitos em julho, 41 em agosto e 35 no mês de setembro. Em outubro são registradas atualmente 8 mortes por conta da Covid-19.

Os dados foram apresentados pela Coordenadora do Comitê Gestor Municipal de Controle ao Coronavírus, a médica infectologista Melissa Falcão, durante coletiva online na manhã desta quarta-feira (14). De acordo com ela Feira de Santana vive o que é denominado "transmissão sustentada". 

"Conseguimos achatar a nossa curva de uma maneira eficaz. Mas quando isso acontece não tem uma queda brusca nos casos. Vão caindo gradativamente", salientou. Ela exlica que mesmo com a redução de casos, os cuidados referentes a prevenção devem ser mantidos. 

"É importante que tanto as pessoas que já tiveram coronavírus, como as que nao tiveram, intensifiquem as medidas preventivas. Outro aspecto é a conscientização de que quem estiver contaminado, que fique em casa, e evite transmitir o vírus", frisou. 

A taxa de ocupação de leitos em toda a cidade, incluindo unidades públicas e privadas, é de 30% em UTIs e 40% em leitos clínicos. "É uma situação que nos dá tranquilidade, mas não nos deixa confortáveis. Pois sabemos que para erradicar o coronavirus, só quando houver uma vacina efetiva", completou Melissa. 

O diretor médico do Hospital de Campanha de Feira de Santana, Francisco Mota, também presente na entrevista coletiva, informou que atualmente existem 5 pacientes internados na UTI e um na unidade clínica - sendo que dos que estão na Unidade de Terapia Intensiva, três testaram negativo para coronavírus e aguardam transferência para outra unidade hospitalar. 

"Dentre os outros dois, um é de Minas Gerais, caminhoneiro que estava de passagem por Feira de Santana quando sentiu sintomas graves da doença e teve que ser internado. O outro é morador de Feira de Santana", esclareceu. 

Postar um comentário

0 Comentários