Trabalhadores da Nestlé protestam em frente a entrada da fábrica em Feira de Santana

 


Trabalhadores da empresa Nestlé realizaram uma assembleia na manhã desta quarta-feira (2), em frente a fábrica, na BR-324 em Feira de Santana para protestar contra a retirada de direitos. O objetivo é chamar a empresa para negociação e segundo a sindicalista Ana Gabriela, a Nestlé não está cumprindo o acordo coletivo que foi firmado no mês de abril.

Ela informou ao Acorda Cidade que durante todo o dia serão realizadas assembleias de acordo com os turnos de trabalho e a assembleia desta manhã reuniu cerca de 200 trabalhadores. Ana Gabriela relatou que a Nestlé está propondo a redução do valor do ticket alimentação e também de outros benefícios em até 50%.

Foto: Paulo José/Acorda Cidade

“Nós temos um acordo coletivo que era previsto para abril e hoje esse acordo coletivo ainda não aconteceu. Essa negociação não aconteceu devido a empresa está com a “desproposta” de retirada de benefícios. Reduzir em mais de 50% tudo que a gente já conquistou ao longo dos anos e por isso viemos hoje passar para a categoria. O sentimento é de indignação dos trabalhadores. O plano de saúde que a gente não pagava nada, estamos com a proposta de pagar 20% e isso já pesa no bolso do trabalhador. A empresa quer retirar o ticket alimentação em mais de 50%, reduzir o valor de R$675 para R$350. Não quer dar o aumento real a classe trabalhadora. Está produzindo mais, lucrando mais, contratou vários trabalhadores terceirizados e diz para o sindicato que não está tendo lucros, usa a justificativa da pandemia.

Foto: Paulo José/Acorda Cidade

A sindicalista declarou que a indústria de alimentos não parou durante a pandemia e que a Nestlé contratou 150 trabalhadores terceirizados para suprir a falta dos que foram acometidos pela covid-19.

Após as assembleias o sindicato irá apresentar os encaminhamentos para a empresa.

O Acorda Cidade entrou em contato com a Nestlé e aguarda retorno.

Fonte: Acorda Cidade

Postar um comentário

0 Comentários