No dia do Rio, Prefeitura de Feira lança livro e documentário sobre o Jacuípe

 


Em Feira de Santana, o Dia do Rio, 25 de setembro, foi marcado pelos lançamentos de um livro e um videodocumentário que tem como tema o rio Jacuípe, um dos mais importantes de todo o semiárido baiano.

Ambos são iniciativas da Prefeitura de Feira de Santana e produzidos pelas secretarias de Meio Ambiente e de Comunicação Social.

O livro, o número 1 da série “Rios que banham Feira de Santana e múltiplas faces da Bacia Hidrográfica”, bem como o documentário, diz o titular da Semmam, Arcênio de Oliveira, é a concretização de um sonho.
“São obras pensadas para conscientizar e fonte de estudos sobre a importância da preservação dos rios, especialmente o Jacuípe, porque a qualidade da água está relacionada à boa qualidade de vida”, considerou.

Ribeirinho do Jacuípe, o chefe da Divisão de Educação Ambiental, João Dias, que esteve à frente dos projetos, disse que agora pode  afirmar que conhece o rio, desde a nascente à sua foz.
Disse que viu toda a situação ambiental, das matas ciliares, de cidades que despejam os resíduos domiciliares diretamente no leito do Jacuípe, que ao longo dos mais de 400 quilômetros agoniza.

Afirmou que ao contrário do que afirmam o rio não é totalmente perene – tem maior intensidade entre a nascente e Piritiba, e apontou equívocos, como a construção da barragem em São José do Jacuípe, em um trecho onde não existem rios para abastecê-lo.

Durante o lançamento online, ele destacou que ambos os trabalhos poderão ser usados como meio de pesquisa, porque aborda a geografia e outros aspectos do Jacuípe. “Além da reflexão, o livro tem várias atividades sobre educação ambiental”.

Diretor do Departamento de Educação Ambiental, Hiram Freire concordou com o secretário de que o livro é a realização de um sonho. Foram impressos três mil livros, nesta primeira etapa.


Postar um comentário

0 Comentários