Pesquisa do Ministério da Saúde sobre coronavírus retomada a partir de amanhã em Feira de Santana


Feira de Santana está entre os 133 municípios brasileiros que fazem parte de uma pesquisa coordenada pelo Centro de Pesquisas Epidemiológicas da Universidade Federal de Pelotas (UFEPel) e financiada pelo Ministério da Saúde para detectar a Evolução da Prevalência de Infecção por Covid-19 no país. Serão 250 pessoas testadas por meio do teste rápido no município, realizado por pesquisadores do Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (IBOPE). A Secretaria Municipal de Saúde de Feira de Santana, ciente da importância da pesquisa, está auxiliando os pesquisadores com a divulgação, descarte do material e notificação dos casos.

A primeira fase da coleta aconteceu no período de 14 a 21 de maio. Nesta segunda e última fase, que começa nesta quinta-feira 4, será aplicado um questionário sobre a existência de doenças preexistentes, possíveis sintomas da Covid-19 nos últimos 30 dias. O teste rápido apresenta resultado em até 20 minutos, a partir da coleta de uma mostra de sangue por punção digital.
Para identificar a equipe é necessário conferir o crachá, que contém foto do profissional e dados pessoais. Eles estarão de camisa branca sem estampa.
A seleção dos participantes da pesquisa ocorre por meio de sorteio, onde a equipe é destinada a realizar o exame em determinado bairro ou rua previamente selecionada, realizando o sorteio eletrônico no local e entre os moradores da residência. Caso o morador não se esteja na residência ou se recuse a realizar o exame é feito um novo sorteio.
"Os resultados da pesquisa serão utilizados para auxiliar na tomada de decisão, na definição de estratégias para diminuir a disseminação do novo coronavírus, na estimativa de recursos hospitalares necessários ao enfrentamento da pandemia em articulação com os gestores estaduais e municipais de saúde”, informa a enfermeira Mislane Cerqueira Silva.
Os casos que tiverem diagnóstico positivo serão comunicados para a Vigilância Epidemiológica.

Postar um comentário

0 Comentários