Meio Ambiente divulga resultado da qualidade da água em três nascentes


Os resultados das amostras de água coletadas em três nascentes, na Semana Mundial do Meio Ambiente, entre 1º a 5 de junho, apontaram a presença de coliformes fecais. As alterações da qualidade das águas são das nascentes Buraco da Jia, localizada à rua Ipanema, bairro Gabriela; do Pires, na avenida Ayrton Senna; e da Balança, localizada à rua Angra dos Reis, no Parque Getúlio Vargas.
 
Os dados estão sendo divulgados pelo Departamento de Educação Ambiental da Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Recursos Naturais (Semmam), que coordenou os trabalhos em parceria com a UFRB (Universidade Federal do Recôncavo da Bahia).
Diante dos resultados, a Semmam alerta a comunidade que a água das nascentes Buraco da Jia, da Balança e do Pires, seja para consumo ou uso doméstico, somente poderá ser feito após passar por tratamento.
“A Prefeitura, através da Semmam, vai intensificar as medidas educativas para conscientização e sensibilização dos moradores das respectivas localidades”, afirma o chefe do Departamento de Educação Ambiental, João Dias.
Segundo ele, esse trabalho demonstra a preocupação que o órgão municipal e instituições parceiras estão tendo com as questões ambientais do município. “É resultado dos projetos Santana dos Olhos D’água Paraíso das Lagoas e Nascentes Vivas”, acrescenta. As análises estão sendo custeadas pelo Governo Municipal. 
Na manhã desta quinta-feira, 11, a Semmam deu continuidade a coleta das amostras de água nas nascentes das Flores, no São João do Cazumbá; da Tereza, na rua Itororó, bairro Rua Nova, e duas coletas no Rio Jacuípe, sendo elas no bairro Três Riachos e no Vale do Jacuípe, na Br 116 Sul. Acompanhou os trabalhos a professora doutora da UFRB, Hilda Talma.
Embora os resultados dessas análises fiquem prontos daqui a cinco dias,  João Dias antecipa que os níveis de temperatura aferidos nessas nascentes deram normais. Contudo, afirma que a presença de Oxigênio Dissolvido (OD) no Rio Jacuípe, comunidade Três Riachos, está muito abaixo dos padrões. O resultado foi de 1.7mg/L, sendo que a concentração normal de OD é de 8mg/L. 
“A presença em grande quantidade de baronesas já é um indicativo de poluição proveniente de esgoto doméstico e excesso de nutrientes. Isso nos preocupa e demonstra a necessidade que há em se desenvolver um trabalho para retirar o esgoto in natura que está sendo jogado em dez riachos tributários do Rio Jacuípe”, pontua o chefe do Departamento de Educação Ambiental.

Postar um comentário

0 Comentários