Major da PM faz homenagem para a família e diminui com música as barreiras do distanciamento social


Quando a saudade aperta, a vontade de abraçar, beijar e de ficar perto são atitudes que se manifestam imediatamente. Neste período de pandemia de covid-19 em que não é recomendado o contato pessoal mais próximo, esta realidade não tem sido nada fácil para muitas pessoas.

O major Flailton Franklis, da Polícia Militar, está sentindo na pele os impactos do distanciamento social e sente muita falta de abraçar especialmente seus pais idosos e irmão que moram em Feira de Santana.

Para aliviar um pouco esta saudade, ele resolveu no último fim de semana visitá-los de uma forma muito especial, mantendo a distância e entoando uma canção ao som de sua voz e uma sanfona.

Ele saiu de Jacobina, cidade onde trabalha comandando a 24ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM) até a casa onde eles moram e demonstrou um pouco do seu afeto, respeito e gratidão. A cena circulou pelas redes sociais através de um vídeo e está emocionando muita gente.
O major contou ao Acorda Cidade que não teve nenhuma pretensão de chamar atenção com o seu gesto e foi uma forma simples de expressar todo o amor que sente pelos pais e irmão. Do lado de fora do portão da casa dos pais ele tocou e cantou uma paródia da música ‘Gostoso Demais’, famosa composição dos artistas Dominguinhos e Nando Cordel. A música ficou conhecida na voz da cantora Maria Bethânia e é um dos clássicos da música nordestina e da própria Música Popular Brasileira (MPB).
Flailton Franklis falou sobre o momento de emoção e alegria ao rever os pais e o irmão, mesmo que a cinco metros de distância.
“Não imaginava que um gesto simples tivesse tanta repercussão. Já havia muitos dias que a gente não se encontrava e não se via em razão da pandemia. Foi um gesto que faz parte da minha vida. Eu nasci em um distrito aqui da região de Jacobina que agora pertence a Capim Grosso e meus me ensinaram muito sobre amor a família e respeito. Essas coisas que fazem parte da minha vida. Meu pai Chico tem 93 anos e minha mãe Uda tem 82 anos, eles têm uma participação muito decisiva na minha vida e na minha carreira na Polícia Militar (PM)”, afirmou.
O major relatou ao Acorda Cidade que o incentivo para ingressar na academia da Polícia Militar veio do pai, assim como tantas outras coisas e ensinamentos que leva para a vida e para a profissão e por isso ele busca honrar os seus pais cada vez mais.
“Me ensinaram a viver, a andar, a tratar bem as pessoas. Eu passei quatro anos na academia de Polícia Militar, mas nenhuma escola que eu já passei até agora me ensinou ou me ensinam o que meus pais me ensinam diariamente. A música que eu toquei e cantei para eles eu não tive pretensão que ela saísse do limite do muro da casa de meus pais. Mas, já que saiu que sirva de incentivo para que as pessoas possam amar os seus pais, possam estar perto das pessoas que realmente lhe querem bem Eu fiz esse gesto com muito carinho, nesse momento que a gente precisa realmente se isolar. Eu fui por amor e tomando todos os cuidados para protegê-los”, comentou.

Aprendiz de sanfona

O major acrescentou ainda que se considera um aprendiz de sanfona e gosta muito do instrumento. É um objeto que ele toca naturalmente e a música “Gostoso demais”, saiu em forma de paródia, nem nenhuma programação, quando ele chegou ao portão da residência dos pais e sua mãe lhe disse de longe: ‘Que vontade de lhe dar um abraço’. A música surgiu na cabeça, assim como todo sentimento expressado por ela.
“Quando eu avistei os meus velhinhos no portão, bem de saúde, graças a Deus, essa música veio em mente. Eles estão mantendo o isolamento social permanecem em casa, não saem para nada, estão com muita saúde, muita tranquilidade e com a força de Deus vamos vencer essa pandemia. Quem falou e quem tocou ali foi o coração de um filho que estava há muitos dias longe dos pais. Um filho que foi levar muito amor no coração e uma forma de levar um agradecimento muito especial para aqueles que lhe deram a vida”, comentou.

Seguindo todas as orientações

A homenagem aos pais segundo o major e como aparece no vídeo, seguiu todos os protocolos do distanciamento social e ele disse que tirou a máscara apenas no minuto que cantou a música. Flailton Fraklis declarou que os mesmos cuidados que tem no seu dia a dia com seus familiares, ele segue junto com a tropa que comanda e que os 200 policiais que atuam no seu comando, utilizam as máscaras, o álcool em gel, luvas diariamente e tem todo o cuidado com a higienização.

Com informações do repórter Aldo Matos do Acorda Cidade

Postar um comentário

0 Comentários