Homem é morto após se negar a usar máscara em supermercado



Istoé - Após se recusar a usar máscara e bater no gerente de um supermercado, um homem, de 36 anos, foi morto a tiros em Vacaria, no Rio Grande do Sul. O uso do Equipamento de Segurança Individual (EPI) no estado é obrigatório por conta da pandemia do novo coronavírus.


Conforme apuração do UOL, a ação de Aldori Somavilla Cardoso no comércio foi registrada por câmeras de segurança.
Nas imagens, que não foram divulgadas, o homem anda pelo mercado, escolhe os produtos e vai em direção ao caixa. Neste momento, o gerente do local diz que Cardoso não pode permanecer no estabelecimento sem máscara.
“O gerente o interpela e diz que ele não poderia circular pelo supermercado sem máscara”, diz o delegado Anderson Lima.
Depois de discutirem, o cliente pega uma faca e parte para cima do gerente.
“Ela dá dois golpes no gerente. No primeiro, ele consegue ir para trás, mas o outro o acertou, na altura do tórax”, diz Lima.
Com isso, o gerente, que estava armado, disparou contra o agressor. Cardoso foi atingido no tórax e desabou na entrada do supermercado.
Ambos foram levados para o hospital. O gerente permanece internado, já Aldori foi socorrido, mas não resistiu ao ferimento.
Segundo o delegado, o gerente possui posse de arma de fogo e não tem ficha criminal.
“Ele estava autorizado a carregar aonde fosse, de maneira escondida”, afirma Lima.
Ainda de acordo com o delegado, ainda sem a apuração devida, a visão primário do episódio é de que o gerente agiu em legítima defesa.
“Confirmada a legítima defesa não responde por nada, teve agressão injusta do cliente, que tenta matar ele. Se confirmar a situação como está se desenhando, não vai dar nada”, salienta Lima.
O agressor golpeou o comerciante com a faca tinha antecedentes criminais por dirigir sem habilitação, lesão corporal no trânsito e ameaça.

Postar um comentário

0 Comentários