Feira Quer Silêncio apreende 25 caixas de som no final de semana


A operação Feira Quer Silêncio resultou neste final de semana em 11 apreensões, sendo 25 caixas de som recolhidas. Sete bares foram fechados. Os dados constatam que, mesmo diante do atual cenário de pandemia com as restrições para o funcionamento de bares e restaurantes, determinada pelo Governo Municipal, ainda há quem insista em descumprir as determinações para o controle do coronavírus.
 
Desencadeada pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Semmam) com a parceria de outros órgãos de fiscalização, o Feira Quer Silêncio percorreu diversos bairros do município. Nesta relação constam o Muchila, conjunto Feira X, Rua Nova, Jardim Cruzeiro, São João, Parque Ipê, Novo Horizonte, Asa Branca, Pampalona, Campo Limpo, além dos bairros Sitio Novo, Gabriela, Ponto Central, Capuchinhos e Olhos D'água. 
Somente no sábado, 6, foram apreendidos três sons automotivos, dois sons em residências e um som em estabelecimento comercial. Nesse dia foram feitas 13 abordagens, sendo nove em pessoas e quatro em veículos. 
O secretário municipal do Meio Ambiente, Arcênio Oliveira, afirma que a operação do Feira Quer Silêncio ocorreu de forma independente à FPI – Covid 19, que também foi desencadeada no município neste final de semana, unindo alguns órgãos numa força tarefa contra a disseminação do coronavíros. 
“Entre janeiro até esse final de semana, 6 e 7 de junho, a Semmam já apreendeu 294 caixas de som através da operação Feira Quer Silêncio”, informa Arcênio Oliveira.  Além da Semmam, as ações contam com a atuação do CPRL (Comando de Policiamento Regional Leste), da SMT (Superintendência Municipal de Transito) e da Guarda Municipal.
Atuação FPI Covid -19
Ainda de acordo com o secretário, neste final de semana, uma equipe da Secretaria Municipal do Meio Ambiente também esteve integrada aos órgãos que atuaram na força tarefa contra a COVID-19, seguido as determinações do prefeito Colbert Martins Filho. 
Nesse serviço identificaram bares em funcionamento descumprindo o decreto emergencial. Na rua Andaraí, bairro Jardim Cruzeiro, um bar teve o funcionamento suspenso, bem como na rua Arivaldo de Carvalho, o proprietário de um bar foi orientado a recolher as mesas e suspender os atendimentos. As equipes também constaram descumprimento das medidas emergenciais próximo ao Loteamento Dhama, onde o dono de um bar foi orientado a fechar o estabelecimento, e na avenida Noide Cerqueira.  Uma sorveteria estava funcionando e clientes consumindo no local.

Postar um comentário

0 Comentários